Sacramentos: Exame de Consciência – Parte 1

2Precisamente por sermos pecadores, ficamos cegos diante de nossos pecados. Satanás quer nos fazer ver que não há mal no que fazemos. Então o coração se endurece, torna-se insensível às exigências do amor. Por isso é tão importante a conversão do coração.

“Por isso, como diz o Espírito Santo: “Se escutardes hoje MINHA voz, não endureceis o coração… Atenção irmãos! Que nenhum de vós tenhais um coração mau e incrédulo…” Hb 3.

Deus é um Pai amoroso que nos faz ver o pecado para nos dar a graça do arrependimento e nos perdoar. O nos quer livres. O demônio não quer que vejamos nosso pecado. Mas se procurarmos o caminho de Deus tratará de nos acusar com nossos pecados para que nós desanimemos e voltemos atrás. Podemos discernir então a diferença. Deus mostra o pecado para libertar e perdoar; o demônio o esconde mas quando o mostra é para que nos desesperemos. Devemos rejeitar energicamente estes pensamentos e ir à confissão com toda confiança no perdão de Deus. Deus SEMPRE perdoa quando há arrependimento.

É muito proveitoso fazer exame de consciência diário e também, com toda humildade, nos abrir a que pessoas próximas  de nós nos corrijam. “Se examinássemos a nós mesmos, não seríamos condenados.” (1 Cor. 11, 31)

O exame se faz diante de Deus, escutando sua voz na consciência.

Preparação para a confissão

Preparação remota: Educamo-nos na fé pelo estudo da Palavra, o Catecismo, leitura dos Santos, participação nos ensinamentos… A prática séria do que aprendemos. O exame diário de consciência.

Preparação imediata: O exame de consciência antes de confessar. Vamos a um lugar tranqüilo, preferivelmente diante do sacrário, para orar. Só Deus pode iluminar sobre nossa realidade e nos dar os meios para responder à graça.

Contemplamos a vida de Jesus e seu amor manifesto em Sua Cruz. “Contemplai ao que transpassaram” Jo 19:37. Como respondi a tanto amor, a tantas graças?. Examinamos nossa vida diante da  lei de Deus. Por isso ajuda ter um exame escrito que nos recorde o que esquecemos. Recordamos que não se trata de sugestões, Deus nos deu MANDAMENTOS. Quebrá-los é quebrar nossa aliança com Deus e cair em pecado.

Não se trata tão somente de enumerar pecados mas sim de descobrir a atitude do coração e com DOR POR NOSSOS PECADOS, FAZER O FIRME PROPÓSITO DE NÃO VOLTAR A COMETÊ-LOS.

Sempre há áreas nas quais somos mais fracos e requerem atenção especial mas se compreendermos que Cristo -não a cultura- é a medida, veremos que em tudo temos muito que crescer.

A confissão só pode ser feita diante de um  sacerdote.

Exame de conciência com base nas quatro rupturas

Examine-se – ajudado por estas perguntas – quais pecados você cometeu desde sua última confissão? Trate de não ficar no exterior, mas sim nas atitudes do coração e as omissões.

Ruptura com Deus:

Amo na verdade a Deus com todo meu coração ou vivo mais apegado às coisas materiais?

Preocupei-me por renovar minha fé cristã através da oração, a participação ativa e atenta da missa dominical, a leitura da Palavra de Deus, etc.? Guardo os domingos e dias de festa da Igreja? cumpri com o preceito anual da confissão e a comunhão pascal?

Tenho uma relação de confiança e amizade com Deus, ou cumpro somente com ritos externos?

Professei sempre, com vigor e sem temores minha fé em Deus? manifestei minha condição de cristão na vida pública e privada?

Ofereço ao Senhor meus trabalhos e alegrias? Recorro a Ele constantemente, ou só o busco quando o necessito?

Tenho reverência e amor para o nome de Deus ou lhe ofendo com blasfêmias, falsos juramentos ou usando seu nome em vão?

Ruptura comigo mesmo:

Sou soberbo e vaidoso? Considero-me superior a outros?

Procuro aparentar algo que não sou para ser valorizado por outros? Aceito a mim mesmo, ou vivo na mentira e no engano? Sou escravo de meus complexos?

Que uso tenho feito do tempo e dos talentos que Deus me deu? Me esforço por superar os vícios e inclinações más como a preguiça, a avareza, a gula, a bebida, a droga?

Caí na luxúria com palavra e pensamentos impuros, com desejos ou ações impuras?

Realizei leituras ou assisti a espetáculos que reduzem a sexualidade a um mero objeto de prazer?

Caí na masturbação ou a fornicação? cometi adultério?

Recorri a métodos artificiais para o controle da natalidade?

Ruptura com os irmãos e com a criação:

Amo de coração o meu próximo como a  mim mesmo e como o Senhor Jesus me pede que o ame?

Em minha família colaboro em criar um clima de reconciliação com paciência e espírito de serviço?

Foram os filhos obedientes a seus pais, prestando-lhes respeito e ajuda em todo momento

Preocupam-se os pais em educar na vida cristã  seus filhos e de respirá-los em seu compromisso de vida com o Senhor Jesus?

Abusei que meus irmãos mais fracos, usando-os para meus fins?

Insultei meu próximo? Escandalizei-o gravemente com palavras ou com ações?

Se me ofenderam, sei perdoar, ou guardo rancor e desejo de vingança?

Compartilho meus bens e meu tempo com os mais pobres, ou sou egoísta e indiferente à dor de outros? Participo das obras de evangelização e promoção humana da Igreja?

Me Preocupo pelo bem e a prosperidade da comunidade humana em que vivo ou passo a vida preocupado tão somente comigo mesmo? cumpri com meus deveres cívicos? paguei meus tributos?

Sou invejoso? Sou fofoqueiro e enganador? Difamei ou caluniei alguém? Violei segredos? Fiz julgamentos temerários sobre outros?

Sou mentiroso?

Causei algum dano físico ou moral a outros? Inimizei-me com ódios, ofensas ou brigas com meu próximo? fui violento?

Procurei ou induzi ao aborto?

Fui honesto em meu trabalho? Usei corretamente a criação ou abusei dela com fins egoístas? Roubei? Fui justo na relação com meus subordinados tratando-os como eu gostaria de ser tratado por eles? Participei do negócio ou consumo de droga? Caí na fraude ou estelionato?

Recebi dinheiro ilícito?

Exame de consciência a partir dos 10 Mandamentos

Este exame é para aqueles que, amando a Cristo, não se conformam evitando pecados graves, mas sim desejam amá-lo com todo o coração.

Amará a Deus sobre todas as coisas (Primeiro mandamento).

Não tomará o nome de Deus em vão. (Segundo Mandamento)

amei a Deus acima de tudo?

-A quem (ou o que) dei a maior atenção?

-Fiz da minha família, trabalho, apostolados, programas, idéias ou outras coisas boas meu primeiro amor?

-Sei na prática o que é confiar no amor e o poder de Deus?

-Confio tudo a Deus ou  quero fazer tudo eu sozinho?

-Confio em Deus quando tudo parece ir mal?

-Caí na superstição ou outra prática religiosa alheia ao cristianismo?

Oração Diária

Como foi diariamente minha vida de oração?:

-Tempo pessoal com Deus; liturgia das horas; oração familiar?

-Louvei  a Deus; dei-lhe graças ou me queixei?

-Intercedo por minha família, grupo, Igreja, pelo mundo?

-Orei com o coração, aberto ao Espírito Santo?

-Tomo tempo para discernir?

-Sei o que é esperar no Senhor, escutá-lo? -Tenho feito isso?

-Quando me dá algum ensinamento eu o guardo em meu coração e procuro aprofundá-lo?

-Incluo  meu esposo/a (ou outra pessoa formada e prudente) em meu discernimento ou só lhes informo de minhas decisões?; -Escuto, obedeço e respeito aos que têm legitima autoridade sobre mim (leis justas, chefes, etc.)?.

-Que critérios tenho para determinar se algo que quero fazer é do Espírito Santo ou é meu?,-Parece-me importante ter e seguir sempre esses critérios?

-Uso os dons que Deus me deu para sua glória?

-Estou aberto a receber novos dons segundo Deus disponha?

-Fui legalista (fazendo sozinho o necessário para cumprir) ou vivo minha fé no Espírito
me entregando com todo o coração?

Obediência

-Procuro conhecer na oração a vontade de Deus para minha vida?

-Obedeço o ensino do magistério ou interpreto à minha maneira?

-O que motiva minha vida, a vontade de Deus ou meus próprios “bons” planos (minha vontade).

-Permito que Deus me guie  ou lhe “entrego” os planos já feitos para que os abençoe?.

-Meus gostos, critérios, dúvidas, confusões, pensamentos, atitudes e valores -em que instâncias não estiveram sob o Senhor?

-Em meus gostos, meus critérios, medos, dúvidas, confusões…

Estudo

-Estudo minhs fé católica (Bíblia, magistério, livros sólidos) ou me contento com meu próprio modo de entender a Deus?, Estou avançando em minha formação como devo?.

-Que passos práticos dou para me formar na fé?

Ordem e Prioridades

-Meu tempo responde às prioridades de Deus ou às pressões de qualquer pessoa ou ocasião para `ficar bem’?); Interpreto o que faço na perspectiva da vida eterna?; Reflito sobre minha morte; sobre o julgamento final?

-Tenho prioridades claras e sou firme para vivê-las? Perco o tempo (revistas, programas, etc.) que não edificam?

-Tenho um horário e organizo o dia com disciplina, dando tempo a cada área com sabedoria: oração, família, trabalho…?; Em que me desordenei? Fico em algo que eu gosto sabendo que é hora de fazer outra coisa?

-Respeito o tempo e necessidades dos outros: quando procuro ajuda, ao telefone, etc..?

-Cuido da saúde; tenho algum vício, falta de exercício, descanso, alimentação… Cuido-me muito?

Santificará o dia do Senhor. (Terceiro Mandamento)

Guardo o dia do Senhor para o Senhor ou trabalho desnecessariamente nesse dia?

-Vou à missa todos os domingos?;adorei e pus todo meu coração em Cristo Eucarístico que me espera no sacrário?

-Eu o amei e consolei pelo tanto que é ofendido?

-Vou a missa diária se puder?; recebi com preparação o Senhor?

A Cruz

-meditei diante da cruz?; procuro seu poder transformador e sua sabedoria?; como se manifesta em minha vida?

-Peço a Deus a graça de amar a cruz?

-Saí da vontade de Deus para evitar a cruz?

-Uno minha cruz à de Cristo?: problemas, doenças, responsabilidades, pessoas, minha idade, minha vocação…

-Procuro a satisfação de todas minhas necessidades físicas e emocionais ou sei me mortificar por amor a Jesus?.

-Me uno à cruz de quem sofre?; Sacrifico-me para amar?.

Confissão

-Rejeito o  pecado embora este seja aceitável segundo a cultura?; pensei ou atuei levianamente como se a retidão dos Santos é “exagero”?

-Evitei a ocasião de pecado: ambientes, programas, más amizades…?

-Procuro que Deus me mostre meu pecado (também pecados velhos e esquecidos)?.

-Reconheço e reparo com responsabilidade meus pecados e faltas ou me justifico?

-Quando me corrigem, fico agradecido?.

-Quando foi minha última confissão?, Minimizei o pecado por pena?; houve mudanças?.

-Fiz uma confissão completa ou escondi algo?

-Há algo (hábito, ferida, complexo) que o inimigo usa para seu proveito?; o que faço para permitir que Deus  me liberte?

-Devo me reconciliar com alguém e não o tenho feito?

Maria

-Consagrei a Ela e, se o tiver feito, vivo minha consagração plenamente? -Como?

-Aceito seu cuidado maternal?; Deixo-me formar por ela? -Como?.

-Recorro a ela em oração, medito sua vida?.

Relacione com outros

-Estão todas minhas relações à luz do Senhor: amorosas, castas, sões e sinceras?

-Guardo ódios ou inimizades?

-Brigas, rivalidades, violências, ambições, discórdias, sectarismo, dissensões, invejas, embriaguezes

-Fui fiel aos compromissos com meus irmãos e com outros?; Estou crescendo nestes compromissos?

-Sou confiável no lar, grupo, trabalho…?; -Cumpro minhas promessas, compromissos, guardo confidencialidade?

-Procuro a unidade no Senhor? (Fl. 2, 1-11, 1 Cor. 10,17)

-Sou serviçal?

-Sou atento sem ser curioso?

-Sou prudente no que falo e como atuo?

-Sou agradecido pelo serviço de rotina que recebo?

Honrará a teu pai e  tua mãe (Quarto mandamento).

No Lar

-Obedeço, cuido e honro  meus pais segundo minha idade e suas necessidades?

-Fico de cara feia?

-Dou tempo à família?; Jantar juntos?; Diversões?

-Hospitalidade?

-Relação com irmãos?

-Responsabilidade nos estudos?

-Ajuda econômica no lar segundo a necessidade? Casados: (além do mencionado)

-Protejo minha casa e os meus das más influências do ambiente? Como?

-Manipulei com meus estados de ânimo e aborrecimentos para que se faça o que quero?

-Permito que outros (pais, amigos) manipulem ou se anteponham ao matrimônio? .

-Honro e respeito a meu esposo/a em todo momento?

-Compartilhei com meu esposo/a a visão para a família?; O escuto com interesse?;

-Expresso amor, carinho e respeito a meu esposo/a?;

-E a meus filhos?

-Detecto os problemas e os enfrento com sabedoria?

-Que medidas tomo para que minha casa seja um lar?

-Sou responsável e ordenado com a economia?; Ajudo-lhes para que possam orar, estudar, descansar, ir a seu grupo, cumprir suas responsabilidades?

Formação: dos filhos: compartilho com eles, ensino e guio?, escuto?, Ensino e dou disciplina com sabedoria?; dou-lhes boa educação para que sejam bons cristãos?

Não matarás. (Quinto Mandamento)

De algum modo matei ou atentei contra a vida? (ex.: apoio ou participação em aborto, suicídio, dirigir sem cuidado, atos irresponsáveis que põem uma vida em perigo, agressão, violência, etc.? atentei contra a dignidade de alguém?.

Não cometerás atos impuros. (não adultério, não fornicação) (Sexto Mandamento)

-Procurei afetividade fora da ordem do Senhor?

-Como distingo entre sentimentalismo e uma autêntica relação de amor entre irmãos?; Me relaciono segundo meu estado de ânimo ou o que edifica no amor?

-Fantasias ou atos impuros, comigo mesmo ou com outros?

-Piadas, programas, atitude sedutora, indecência em vestir?

-Obedeço o plano de Deus para a sexualidade em meu estado de vida?

Não roubarás (Sétimo mandamento).

-De algum modo roubei?

Descuidando ou não devolvendo propriedade alheia ou comum)?

Aproveito-me do meu de posto para benefício pessoal?

Não levantarás falsos testemunhos nem mentirás (Oitavo Mandamento)

-Quem inspira minhas palavras: Deus ou meu ego?quis dar minha opinião em tudo?

-Digo a verdade?; revelei segredos; julguei ou fiz fofocas?

-Queixei-me procurando comiseração ou desafogo?

-Pus minha atenção ao indevido

-Falei o que não edifica: piadas grosseiras, que ferem a alguma raça, nacionalidade, etc.?

Não consentirás pensamentos nem desejos impuros (Nono Mandamento)

– Cobicei a mulher ou o marido de meu próximo?

– Olhei a um homem a uma mulher de maneira impura?

Não cobiçarás os bens alheios (Décimo Mandamento)

– Desejei os bens alheios?

– Fui invejoso?

– Fui avaro?

– Comi mais do que necessito?

– Fui orgulhoso?

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.