Roma abre Museu Missionário da Santa Sé

Dependente
da Congregação para a Evangelização dos Povos

CIDADE DO
VATICANO, sexta-feira, 10 de dezembro de 2010 (ZENIT.org) – Obras de arte, manuscritos, fotografias e
livros, testemunhas do trabalho de evangelização dos povos mais remotos ao
longo dos últimos quatro séculos, são os tesouros presentes no Museu
Missionário Propaganda Fide, que abrirá suas portas a partir de hoje, em pleno
centro de Roma, junto à Praça da Espanha.

O museu
pretende reunir e divulgar o “espírito da missão que levou muitos
sacerdotes e religiosos, ao longo dos séculos, a testemunhar os valores
cristãos nos cantos mais remotos da terra”, disse Francesco Buranelli,
coordenador do comitê científico do Museu Propaganda Fide.

“Um
museu moderno – disse Buranelli -, lugar da memória e ponto de encontro de
culturas, de povos e de ideias que, por meio de uma linguagem simples e
atraente, contam a história, a arte e a vida”, disse ele.

Esta nova iniciativa
foi liderada pelo presidente da Congregação para a Evangelização dos Povos
(antiga Propaganda Fide), cardeal Ivan Dias, e apresentada ontem em uma
coletiva de imprensa no prédio do dicastério vaticano, com a presença do Pe.
Massimo Cenci, P.I.M.E., subsecretário da Congregação, Francesco Buranelli,
coordenador do comitê científico do museu, e Ludovico Ortona, presidente da
sociedade de arte, cultura e espetáculo Arcus.

Os
visitantes do museu podem ver “os testemunhos da obra missionária e de
evangelização, desenvolvida durante os séculos da Congregação”, entre
outras, obras de arte que até hoje “tinham sido reservadas a poucos
estudiosos afortunados”, disse Ludovico Otona em seu discurso.

A
Congregação para a Evangelização dos Povos foi criada em 1622, pelo Papa
Gregório XV, e tem a tarefa de dirigir e coordenar, no mundo inteiro, a obra da
evangelização e da cooperação missionária.

Dirige e
mantém uma ampla variedade de instituições, nas dioceses dos territórios de
missão dos lugares mais recônditos. Distribui anualmente ajudas para projetos
de construção de novas igrejas, instituições pastorais, obras de alfabetização,
centros de saúde e hospitais, especialmente para crianças, nas regiões mais
pobres do planeta.

A visita ao
museu

Um dos
tesouros do museu que se abre é a capela dos Reis Magos, que se localiza no
primeiro andar. Foi construída entre 1647 e 1664 pelo arquiteto Francesco
Borromini.

O passeio
pelo museu começa no segundo andar do prédio, com a “Sala
Mapa-Múndi”, que narra a origen, história e atividade missionária da
Congregação.

Em seguida,
o público pode apreciar a sala de multimídia, que mostra as obras de
evangelização do dicastério. Também são exibidas mais de 10.000 fotografias da
agência Fides nos lugares missionários mais remotos, durante viagens realizadas
ao longo do século XX.

As obras de
arte italianas e estrangeiras se encontram no museu Borgiano, em homenagem ao
cardeal Stefano Borgia (1731-1804), que foi secretário e depois prefeito da
Congregação, “um homem de vasta cultura”, como sublinhou Buranelli.
Lá podem ser apreciados livros e manuscritos de séculos de história, mensagens
que iam e vinham de terras distantes. No fundo da sala, encontra-se um
monumento à memória de 22 mártires da Uganda, que foi doado ao Papa Paulo VI
por ocasião da sua viagem à África, em 1969.

Também se
encontra neste local a Capela John Henry Newman, onde o beato celebrou a
primeira Missa.

O museu
está localizado na sede da Congregação para a Evangelização dos Povos, na Via
della Propaganda, nº 1. Até 23 de dezembro, funcionará de segunda a sexta, das
14h30 às 18h. A partir de 1º de janeiro, estará aberta ao público às segundas,
quartas e sextas-feiras, no mesmo horário.

(Carmen
Elena Villa)

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.