Renascem verdadeiros colégios católicos

clip_image002Dom Gil Antônio Moreira, arcebispo de Juiz de Fora, MG, inaugurou nesta cidade mais um colégio católico arquidiocesano, em 1º de fevereiro de 2014. “Uma Imagem de Nossa Senhora das Graças foi colocada na fachada principal da nova instituição. Trata-se de um colégio mantido pelos “Arautos do Evangelho” que exerce uma forte ação evangelizadora na Arquidiocese. Dom Gil Moreira presidiu a Missa de instalação do colégio. Para finalizar os festejos, a orquestra e banda dos Arautos do Evangelho executou o Hino Brasileiro e o Hino Pontifício, encerrando desta forma o Ato em louvor à Cátedra de Pedro e à Diocese de Juiz de Fora, que comemorou naquele dia seus 90 anos de criação. (LMI)”.

O Brasil era fortemente católico e tinha excelentes líderes católicos, tanto nos poderes executivo, legislativo e judiciário, como em todos os setores da mídia e das profissões liberais, porque muitos desses líderes foram educados em colégios verdadeiramente católicos, como os salesianos de Dom Bosco, os Maristas, Jesuítas, Franciscanos, Dominicanos, Lassalistas, etc..

Mas, infelizmente muitos desses colégios e universidades católicas fecharam suas portas; ou, pior ainda, outros permaneceram funcionando, contudo, muitos deixaram de ensinar com o mesmo fervor e zelo apostólico antigo, o ensino da doutrina católica, com fidelidade ao Magistério da Igreja. O relativismo moral e religioso feriu de morte a muitos deles; e não faltaram alertas do Papa João Paulo II em seus escritos. É claro que há belas e honrosas exceções.

Eu recebi uma excelente formação católica num colégio de padres; mas, meus filhos, no mesmo colégio, quase nada aprenderam de tudo que eu aprendi. Tive que ensinar em casa. Que saudade daquele Colégio, daqueles Retiros, daquelas aulas de Religião tão bem dadas, dos livros religiosos que liamos!… Ainda hoje os uso.

Todavia, agora, graças a Deus, vejo passar essas nuvens negras que baniram o ensino religioso do meio do povo católico, dando espaço a um laicismo anticatólico de muitas criticas à santa Mãe Igreja, banindo Deus da sociedade. Ficamos à mingua de uma verdadeira catequese para as crianças e jovens por muitos anos, o que ocorria principalmente nas escolas católicas. A pregação social infelizmente sufocou a espiritual.

Vejo com renovado ânimo o surgimento de novos colégios, de fato católicos, como esse inaugurado por Dom Gil em Juiz de Fora, como o Instituto da Canção Nova em Cachoeira Paulista e outros que têm surgido. Nesses, o ensino católico poderá ser novamente transmitido, sem relativismos, obstruções e malversações governamentais que hoje são impostos nas escolas estatais, um ensino moral que não se coaduna com a fé e a moral católica.

Queira Deus que estejamos de fato diante de um saudável surto de novos colégios católicos, criados agora pelas Dioceses, pelas Associações de Leigos, pelas Comunidades de Vida e de Novos Movimentos. Afinal, João Paulo II disse, no Pentecostes de 1998, que eles são a resposta do Espírito Santo para a Igreja enfrentar os problemas do novo milênio.

Parabéns Dom Gil; parabéns Arautos do Evangelho; parabéns Juiz de Fora! Sigamos o seu belo e urgente exemplo.

 Prof. Felipe Aquino

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.