“Que possamos formar uma grande corrente de oração pelo meu filho”, pede pai do menino de três anos que deseja ser Papa

noticia“Eu quero ser Papa”, disse Rafael Freitas ao ver o Papa Francisco na TV, durante a Jornada Mundial da Juventude Rio2013. A criança, que atualmente tem 3 anos, se tornou conhecida recentemente, quando um vídeo dele “celebrando a missa” foi divulgado na Internet. Em 2014, os pais de Rafael, Randersson e Patriana Freitas, receberam a notícia de que o filho estava com um câncer terminal, mas após quase um ano de tratamento, já é possível falar em cura.

“Estamos em uma semana crucial, onde serão feitos novos exames para definir o que ainda precisará ser feito. Talvez ele tenha que fazer um transplante de medula. Pedimos as orações dos bispos, padres, religiosos, leigos e das famílias. Rezem pelo Rafael. Que possamos formar uma grande corrente de oração. Sabemos que a cura do Rafael depende da mão de Deus e nós pedimos que esse milagre aconteça”, disse Randersson.

Desde março do ano passado, para tratar um Neuroblastoma, ele começou a fazer quimioterapia no Hospital de Câncer Infanto Juvenil Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Barretos (SP).

“Receber essa notícia foi o pior momento do tratamento. A neuroplastoma é uma doença que atinge nervos e ossos. A doença do Rafael foi classificada no nível 4, o mais grave. Os médicos não deram nenhuma esperança. Quando chegou, ele foi colocado no local para doentes terminais. Mas, pela graça de Deus, pudemos constatar alguns milagres e o quadro crítico foi se revertendo. Agora, na fase final do tratamento já começamos a pensar na cura”, afirmou.

A fé dos pais desenvolveu em Rafael o sentido religioso que ele demonstra desde muito cedo.

“O filho sempre quer ser o que o pai é. Nós somos ministros extraordinários da Sagrada Comunhão (Mesc) e buscamos participar diariamente da Sagrada Eucaristia. Rafael, com pouco mais de um ano, quando começou a dar os primeiros passos, em todas as missas que nós íamos, na hora da Consagração, quando o padre levantava o cálice, ele no banco também levantava o seu copinho de água e esticava a sua toalhinha de bebê”, contou.

Na Capela do hospital, onde participa da missa com seu pais, Rafael pediu uma patena para o Padre Sérgio Borges. A criança ganhou não só uma patena, mas também outros objetos litúrgicos, além de uma túnica e uma estola feitas exclusivamente para ele.

“O padre achou tão bonito o pedido dele e para incentivá-lo deu um conjunto de objetos litúrgicos que ainda não tinham sido utilizados em uma missa. No dia que ele ganhou esse presente ele celebrou umas ‘trezentas missas’, às 11 horas da noite ele ainda estava celebrando. Foi o melhor presente, o olhar dele demonstrava o quanto ele estava feliz. Na pensão onde moram as pessoas que estão em tratamento no hospital, temos um lugar comum e ele chama todo mundo para participar da ‘missa’ celebrada por ele”, destacou o pai.

Para incentivar a oração pelo pequeno esta semana, atendendo o pedido dos seus pais, foi lançada a hashtag #PrayforRafa (Reze pelo Rafa) nas redes sociais pedindo que todos os usuários peçam pela cura do pequeno que quer ser Papa.

Assista ao vídeo:
https://www.youtube.com/watch?v=tmaqzQNqjCg#t=48

Cláudia Brito de Albuquerque e Sá

Fonte:http://www.acidigital.com/noticias/que-possamos-formar-uma-grande-unidade-de-oracao-pelo-meu-filho-pede-pai-do-menino-de-tres-anos-que-deseja-ser-papa-74988/

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.