Que o Natal traga o fim da violência no Oriente Médio

Apelo do patriarca latino de Jerusalém ao respeito pela liberdade religiosa

JERUSALÉM, quinta-feira, 22 de dezembro de 2011 (ZENIT.org) – Todas as religiões devem trabalhar juntas para construir a paz. E o respeito pela liberdade de culto é o primeiro passo essencial nesta jornada.

Em sua mensagem de Natal, o patriarca latino de Jerusalém, Fouad Twal, falou da primavera árabe e do respeito pela dignidade de todos os povos da região.

“As religiões são um fator de paz. Condenamos toda violência contra locais de culto e o desprezo pelos símbolos religiosos”.

O patriarca lembrou dois momentos culminantes do ano que termina, em termos de diálogo inter-religioso: a Jornada da Paz, realizada em Assis em 27 de outubro, e o encontro de 10 de novembro entre o papa Bento XVI e todos os líderes religiosos do Oriente Médio, no Vaticano.

“O que esperamos dessas reuniões é uma superação de preconceitos e um crescimento do respeito mútuo, para aprendermos sobre os nossos valores comuns e construirmos pontes de bom senso e de boa vontade, sem nos esquecermos da importância do diálogo que ocorre na vida cotidiana, dentro das nossas escolas e das nossas várias instituições”, escreveu Twal.

O patriarca menciona ainda a intenção de “unificar a data da Páscoa, conforme o desejo de Nosso Senhor e a vontade unânime do povo cristão da Terra Santa”.

A respeito da primavera árabe, o líder religioso do Oriente Médio reiterou o seu apoio a todas “as mudanças que estão ocorrendo em favor da democracia e da liberdade” e fez votos de que “sejam sempre respeitados os direitos humanos e a dignidade de cada indivíduo”.

Fouad Twal apelou às autoridades governamentais de vários países do Oriente Médio para que empreguem “todos os esforços a fim de acalmar os espíritos sem recorrer à violência, protegendo as minorias que fazem parte integrante desses povos. Precisamos aprender a aproveitar este momento para construir uma nova sociedade baseada na cidadania igual para todos”.

O patriarca de Jerusalém também comentou sobre o pedido do reconhecimento da ONU de um Estado palestino, salientando que, a este respeito, a Santa Sé espera “dois Estados com fronteiras seguras e internacionalmente reconhecidas”.

“Somos a favor do bem-estar do mundo inteiro: para a paz, a segurança, o respeito mútuo e a dignidade. A viagem já começou, mas a jornada ainda é longa”, disse Twal, afirmando que “estar com uma das partes não significa ser contra a outra”.

Falando à Rádio Vaticano, o patriarca latino de Jerusalém manifestou suas saudações de Natal para os ouvintes: “Desejo sempre o mesmo: que se realize o anúncio de Belém, um anúncio de paz. Precisamos alcançar a paz proclamada pelos anjos, a paz em nossos corações, antes mesmo de uma paz exterior, feita de reuniões e de acordos entre os povos”.

“Peço também as suas orações, orações de todos aqueles que nos ouvem: eu preciso delas, como delas precisa a Terra Santa, como delas precisa Jerusalém: das suas orações, da sua peregrinação. Venham nos visitar e vamos rezar juntos pela paz!”, concluiu Twal.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.