Que a Senhora Aparecida faça crescer em nós a fé em Jesus, disse Cardeal Damasceno pelo dia da Padroeira do Brasil

Aparecida, 12 Out. 11 (ACI) – Como sucede anualmente, no dia 12 de outubro em que o Brasil celebra a sua Padroeira, Nossa Senhora Aparecida, o maior templo mariano do mundo recebeu dezenas de milhares fé de todo o país para expressar sua devoção à Mãe de Deus e Nossa. O ponto alto desta terça-feira foi a Missa Solene das 10h presidida pelo Cardeal arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis.

Também concelebraram o bispo emérito de Rubiataba (GO), Dom José Carlos Oliveira, o bispo emérito de Prelazia de Coari (AM), Dom Joércio Gonçalves Pereira, o bispo emérito de Barretos (SP), Dom Pedro Fré, o bispo de Caraguatatuba (SP), Dom Antônio Carlos Altieri, o bispo de São José dos Campos, Dom Moacyr Silva e o bispo de Frederico Westphalen (RS), Dom Antônio Carlos Rossi Keller, além do reitor do Santuário Nacional, padre Darci Nicioli, o administrador, padre Luiz Cláudio Alves de Macedo e diversos religiosos e Missionários Redentoristas.

Em sua homilia, recolhida pelo Portal A12 do Santuário Nacional, Dom Raymundo Damasceno, recordou o encontro da Imagem da Virgem de Aparecida nas águas no Rio Paraíba do Sul.

“Após lançarem a rede várias vezes, sem nenhum resultado, ao chegarem com sua canoas ao Porto de Itaguassu, um dos pescadores, João Alves, lançou novamente a rede e tirou das águas o corpo de uma imagem, sem cabeça. Lançando a rede mais abaixo, outra vez, retirou a cabeça da mesma imagem”, recordou o Cardeal.

Dom Damasceno destacou que, desde outubro de 1894, os Missionários Redentoristas zelam pela Pastoral do Santuário Nacional que também é o maior santuário mariano do mundo.

“Atualmente são mais de 10 milhões de devotos de Nossa Senhora Aparecida que visitam a Casa da Mãe Aparecida e com a Rede Aparecida de Comunicação, este Santuário, parafraseando o Papa João Paulo II, se converteu, não só para os romeiros, mas também, para o Brasil, em antena permanente da boa nova da salvação”, completou.

Sobre o evangelho, Dom Damasceno destacou as bodas de Caná da Galiléia e destacou, neste episódio, a presença da mãe de Jesus, do próprio Jesus e de seus discípulos.

O Cardeal explicou que este primeiro milagre de Jesus que se realizou, no inicio de sua vida pública, a pedido de Maria, é o anúncio simbólico da hora de Jesus, da manifestação da sua glória e os seus discípulos creram nele.  Segundo o Cardeal, os fiéis recorrem a Ela com tanta devoção, pois sentem intuitivamente este amor materno. Sabem que Maria compreende sua dor e seus desejos, entende suas limitações.

Voltando-se para a Imagem de Nossa Senhora Aparecida, recorda a nota do Portal A12 da mãe Aparecida, Dom Damasceno afirmou que pediu a intercessão da Virgem para que cuide de nosso amado e continental país, que foi confiado à sua proteção como Padroeira principal de nossa Nação Brasileira e de sua boa gente.

“Que a Senhora Aparecida faça crescer em todos nós a fé em Jesus, o compromisso de anunciá-Lo aos nossos irmãos, a consciência cidadã, a responsabilidade de cuidar também dos mais fracos e de proteger o meio ambiente”, concluiu.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.