Quase metade da população costarriquenha deseja um Estado laico

1_0_678667Segundo os dados de uma pesquisa feita pela imprensa local, divulgada pelo site Radio Vaticana (01 de abril 2013), a Costa Rica que é um dos últimos países do Ocidente a ter o catolicismo como religião oficial, possui 47% da população com o desejo que o Estado fosse laico.

A pesquisa realizada para o jornal ‘La Nación’ pela empresa Unimer, revelou que existe um crescimento favorável à separação entre Estado e Igreja Católica. Em outubro de 2011 esta posição era defendida por 41% dos entrevistados.

Para o Estado costarriquenho ser declarado laico é necessária uma reforma constitucional. Existe um projeto no Congresso que não foi discutido por nenhuma comissão.

Segundo a mesma pesquisa, os católicos representam atualmente 57% da população, enquanto em 1999 eram 73%. Os evangélicos, por sua vez, cresceram de 6% para 12% no mesmo período. 21% da população diz não ter nenhuma crença.

A sondagem entrevistou 1.200 cidadãos de todo o país entre 24 de janeiro e 4 de fevereiro deste ano e tem uma margem de erro de 2,8%.

Fonte: http://pt.radiovaticana.va/news/2013/04/01/costa_rica:_47%_da_popula%C3%A7%C3%A3o_quer_estado_laico/bra-678667

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.