Quaresma: costumes e sacrifícios

Antigamente
era costume na quaresma cobrir  as imagens nas igrejas  com
um pano roxo que representa a tristeza, para lembrar que a quaresma celebramos
a Paixão de Cristo.
Da mesma forma era exigido a abstinência de carne em todas as sextas feiras e na quarta
de cinzas quando se inicia a quaresma e, jejum total na sexta  da paixão.
Quando do II° Concílio do Vaticano, os membros resolveram abolir parte destas
práticas visto que  a fome imperava em grande parte do globo terrestre e
haviam pessoas que só comiam carne na quaresma porque sobrava ( visto vários
não comiam). Ainda ficava  relativamente caro cobrir de roxo todas as
imagens e depois mandar lavar os panos, etc.
Assim, hoje só é  exigido a abstinência na quarta de cinzas e sexta-feira da
paixão; e jejum para quem puder fazê-lo, sendo vetado aos doentes.

Relembro o notável São Tomás de Aquino que dizia que se pode fazer grande
sacrificio comendo (em uma mesa farta) o que não se tolera, assim alimentando
o corpo e ao mesmo tempo fazendo grandes sacrifícios.    

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.