Preparando o coração para uma boa confissão

“Reconciliai-vos com Deus”. Não coloque nada antes do amor de Cristo.

1. Peça a Deus que te a ajude a sentir-se pecador

O arrependimento é uma visita de Deus, um sinal de seu amor. Por isso, antes de aproximar-nos, é importante que oremos com um coração arrependido.

2. Examine sua consciência

Muitas vezes, o pecado se esconde no mais profundo do nosso coração, e muitas vezes, nem nós mesmos somos capazes de enxerga-lo, ou não o chamamos de “pecado”, e sim, de costume, ou coisa que “todo mundo faz”. Examine com atenção a sua consciência. Para isso, pode utilizar os mandamentos, ou as bem-aventuranças.

Leia também: O inviolável segredo da confissão

Tire suas dúvidas sobre o Sacramento da Confissão

Os efeitos do Sacramento da Confissão

O grande Sacramento da Confissão

As perguntas que temos aqui também poderão te ajudar:

Amarás o Senhor teu Deus com todo o seu coração

• A minha fé em Deus está firme? O que me impede que Deus seja o mais importante para mim? O que faço para fortalecer a minha fé?

• Rezo assiduamente, pela manhã e pela noite? Participo da Eucaristia sobretudo aos domingos? Ofereço a Deus meus trabalhos e minhas preocupações? Me preocupo em estudar e me aprofundar na Palavra de Deus?

• Existem outros deuses que habitam em me coração? Que ídolos tenho construído?

Amai-vos uns aos outros, como eu vos tenho amado

• Tenho um autêntico amor ao próximo? Abuso de meus irmãos usando-os para meus fins? Trato os outros como gostaria que me tratassem?

• E no seio de minha família? Colabora para que exista a paz, o amor e as boas relações?

• Compartilho o que é meu com os demais? Que tempo, qualidades, dinheiro, ponho de fato, à disposição do próximo? Como me interesso pelas coisas das pessoas que convivem comigo, em minha casa, trabalho, cidade…? Cumpro com minhas obrigações de cidadão?

• Sou prestativo, trabalhador, cuidadoso, comprometido com o trabalho que realizo?

• Cumpro a palavra que dou? Profiro calúnias, mentiras, meias verdades ou pelo contrário, digo sempre o que é justo?

• Me sinto distante de alguém por rinchas, disputas, brigas? Machuquei alguém com piadas ou fisicamente? Sinto-me disposto a promover paz ou a propagar a violência e a vingança?

• Se existem pessoas à minha disposição, tenho me preocupado em dar o melhor de mim mesmo? Ou as tenho usado para os meus próprios propósitos?

• Roubei alguém? Procurei restituir ou reparar esse dano?

Sede perfeitos como vosso Pai é perfeito

• Me esforço para crescer na vida espiritual? Me esforço para dominar meus vícios e más inclinações? Tenho sido soberbo? Imponho minha vontade acima de tudo passando por cima dos demais?

• Como tenho feito uso do meu tempo, de minhas forças, dos dons que Deus meu deu? Vivo na ociosidade ou na preguiça?

• Tenho procurado colocar sempre minha sexualidade a serviço de um autêntico amor ou pelo contrário tenho usado ela só por diversão?

• Trato sempre de agir com liberdade de consciência de filhos de Deus, ou me sinto preso por algo ou por alguém?

3. Pedir perdão

Depois de haver examinado sua consciência, fique em silêncio pedindo a Deus e a sua Igreja perdão. Pode fazê-lo com suas próprias palavras ou com uma oração:

“Misericórdia Senhor, por Tua bondade, por Tua imensa compaixão apagai a minha culpa, lavai de todo os meus erros, limpai o meu pecado.

Pois eu reconheço minha culpa, tenho sempre a minha frente o pecado, foi contra Ti, contra Ti pequei, cometi a maldade que o entristece.

Te agrada um coração sincero, e o meu interior cheio de sabedoria, então, asperge-me, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais branco que a neve.

Fazei-me ouvir o gozo e a alegria, que se alegrem os ossos quebrantados. Afastai meu pecado de seus olhos, apagai em mim toda a culpa.

Ó Deus, criai em mim um coração puro, firmai-me com um espírito generoso, não me afasteis de vossa face, nem retireis de mim Teu Santo Espírito”.

Assista também: A importância da confissão

4. Confissão dos pecados

Aproxime-se do sacramento com confiança. Pode começar com uma saudação normal, ou como preferir.

Depois manifeste com sinceridade as raízes de seus pecados e seu estado de separação com Deus. O sacerdote pode te dar algumas palavras de alento. Depois estabelecer uma obra de penitência. E o convidar para que se reconheça pecador. Pode rezar uma breve oração como esta: “Senhor Jesus, tende piedade de mim, que sou um pecador”.

Finalmente, o sacerdote, em nome de Deus, declarará que foi absolvido de sua culpa.

Fonte: http://www.iglesia.org/component/k2/item/560-preparando-el-coraz%C3%B3n-para-una-buena-confesi%C3%B3n

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.