Por que tem a Igreja Católica uma Doutrina Social própria?

topic (4)Porque todas as pessoas possuem, como filhas de Deus, uma dignidade única, a Igreja empenha-se com a sua Doutrina Social para que esta dignidade humana também se realize, no âmbito social, em todas as pessoas. Ela não quer tutelar a política ou a economia; mas quando, na política e na economia, a dignidade humana é ferida, a Igreja tem de se intrometer. [2419-2420, 2422-2423]

Leia mais: O que é a Doutrina Social da Igreja?

Como surgiu a Doutrina Social da Igreja?

A Igreja Católica se afastou da doutrina da Sagrada Escritura? – EB

<<As alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias das pessoas de hoje, sobretudo dos pobres e de todos aqueles que sofrem, são também as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos discípdoutrinasocialmenorulos de Cristo.>> (Gaudium et spes, nº1)

Assista também: Por que devemos conhecer a Doutrina Social da Igreja?

Na Doutrina Social, a Igreja concretiza esta frase. E ela questiona: Como podemos assumir a responsabilidade pelo bem-estar e pela convivência justa com todos, mesmo o que não são cristãos? Como devem ser formadas as instituições políticas, econômicas e sociais? No seu empenho pela justiça, a Igreja é guiada por um amor que se orienta pelo amor de Cristo à humanidade.

Trecho retirado do livro: YOUCAT

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.