Pio XII conseguiu salvar 63,04% dos judeus de Roma durante a perseguição nazista

Vem abaixo, cada vez mais retumbantemente, a covarde lenda negra contra o Papa Pacelli

Tentaram despejar sobre a figura do venerável Papa Pio XII uma covarde quantidade de lendas negras a propósito da sua suposta “colaboração” com os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. A investigação histórica séria, no entanto, vem desmontando essas mentiras uma por uma. A mais recente a desabar (mais uma vez) é a da alegada falta de ajuda aos judeus durante a perseguição nazista.

Já havia numerosos testemunhos e documentos sobre as ações do Papa em favor dos judeus, apresentados amplamente, em 2014, durante o Congresso “Pio XII, o Papa da Caridade”. Agora, “estamos em posse de novos testemunhos de judeus, de novos documentos e arquivos”, explica o diácono Domenico Oversteyns, que confirmam e revelam ainda mais claramente a amplitude da ajuda que o Papa Pacelli prestou aos judeus.

A nova documentação, tornada pública por Oversteyns durante um segundo congresso sobre Pio XII realizado em Roma no último dia 2 de março, demonstra a existência de pelo menos outros cinco conventos que esconderam judeus entre seus muros.

“Graças ao testemunho de Vittorio de Benedetti, entrevistado em quatro ocasiões entre novembro de 2014 e janeiro de 2015, sabemos que o Instituto das Franciscanas Missionárias Clarissas do Santíssimo Sacramento acolheu Gino de Benedetti, sua esposa e seus dois filhos; que no Instituto de Adoração foram escondidos 11 judeus: Lília Coen e seus quatro filhos, Adriana, Anna, Angela e Andrea; a senhora Sestieri com seus filhos Valerio e Giancarlo; a senhora Lucia Basevi e seus dois filhos, Maria Vittoria e Antonio…”, foi citando o diácono Domenico durante a conferência “Pio XII – A lenda negra está prestes a terminar: novas provas e pontos de vista”.

A partir da informação reunida e atualizada até agora, verifica-se que Pio XII e seus colaboradores protegeram e ajudaram 6.288 judeus: 336 foram abrigados nos colégios pontifícios e nas paróquias de Roma; 4.112 foram escondidos em 235 conventos; 160 se resguardaram no próprio Vaticano e nas suas sedes extraterritoriais; e 1.680 judeus estrangeiros foram ajudados pela Associação Delasem com apoio econômico do Vaticano.

Em total, conforme os levantamentos feitos até o momento, Pio XII conseguiu esconder e proteger nada menos que 63,04% dos judeus que estavam em Roma durante a perseguição nazista.

A partir de original em espanhol escrito por José Calderero (@jcalderero) para o site Alfa y Omega

Fonte: http://pt.aleteia.org/2017/03/09/pio-xii-conseguiu-salvar-6304-dos-judeus-de-roma-durante-a-perseguicao-nazista/

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.