Patriarca de Lisboa pede que sacerdotes deem mais atenção aos casos de exorcismo

Lisboa (07-02-2012, Gaudium Press) – O Patriarca de Lisboa, Dom José Policarpo, está pedindo aos padres da Arquidiocese portuguesa, que deem mais atenção e “ajudem as pessoas que os procuram para expulsar os demônios”. Segundo o prelado, o número de pessoas atormentadas pelos poderes do mal, que tem procurado a Igreja em busca de ajuda, está aumentando.

Nas normas pastorais sobre bençãos, funerais e exorcismos, Dom José Policarpo afirma que “ignorar ou desprezar quem procura um exorcismo é uma falta de respeito pela pessoa que sofre”. Aos sacerdotes, Dom Policarpo pede para que “estejam suficientemente preparados sobre o modo de acolher e ajudar”.

O exorcismo tem por finalidade expulsar os demônios ou libertar da influência diabólica, pelo que cabe ao sacerdote distinguir corretamente os casos de ataque do diabo.

No documento, o cardeal sublinha que “todos os meios de comunicação social estão excluídos das celebrações de exorcismo” e pede aos intervenientes que “observem com grande descrição”.

Quanto aos funerais, o prelado recorda que, nas missas de corpo presente, “não devem cobrir-se os féretros com bandeiras de partidos políticos, seja eles quais forem”. Nos casos de cremação aponta que “não se devem lançar as cinzas na terra”. (LB)

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.