Para o budismo, vencer o apego é vencer a dor

A vida é feita de sofrimento. O sofrimento, por sua vez, vem do apego que temos
aos desejos do corpo físico. Qualquer um pode vencer esse apego, e existe um
caminho para superá-lo. Essas são as quatro verdades fundamentais do budismo,
religião fundada pelo príncipe Siddartha Gautama aproximadamente 500 anos antes
no nascimento de Cristo.

Siddartha Gautama ficou posteriormente conhecido como Buda Gautama. Ele nasceu
aos pés do Himalaia, atual Nepal, e cresceu cercado pela vida palaciana.
Curioso por não conhecer a velhice e a morte, aos 29 anos ele decidiu
peregrinar pela região onde vivia. Seguiu monges ascéticos -que ignoravam
completamente a vida física- e acabou conhecendo o extremo oposto do
materialismo.

A partir daí, Buda concluiu que o apego à matéria causa sofrimento porque o
mundo físico não é permanente. O materialismo, o desejo, a luxúria e a ambição
-seguidos da desilusão- são as causas da dor. Livrar-se deles é livrar-se do
sofrimento.

O nirvana, diferente de paraíso budista ou de “entrar no nada”, é
antes vencer o apego, o ódio e a ignorância. Só é possível superar o sofrimento
ao aceitar a imperfeição, a transitoriedade e a interdependência entre tudo e
todos no universo.

O caminho para atingir o nirvana e se livrar da dor é chamado
“dharma”. Para o príncipe Gautama, o “dharma” é o caminho
do meio, compreendido pelo budismo como o equilíbio entre o materialismo e o
idealismo, entre o hedonismo e o ascetismo. Para trilhar o caminho do meio, o
seguidor do budismo deve seguir oito etapas:

Sabedoria

Visão correta
Compreensão das quatro nobres verdades do budismo (a vida é sofrimento, o
sofrimento vem do apego, o apego pode ser superado e há um caminho para isso).

Vontade correta
Vontade sincera de se libertar do apego, da ignorância e do ódio

Moral

Fala correta
Abstenção da mentira e da maledicência

Ação correta
Abstenção de comportamentos prejudiciais, como assassinato, roubo ou sexo livre

Meio de vida correto
Sustento da própria vida (profissão) honesto e que não machuque ou prejudique
outras pessoas, inclusive animais

Meditação

Esforço correto
Exercício mental para que as más qualidades sejam abandonadas e mantidas longe
do comportamento e para que as boas qualidades sejam cumpridas e cultivadas

Atenção correta
Concentração no próprio corpo, nos próprios sentimentos, pensamentos e
consciência para superar o ódio e a ignorância

Concentração correta
Meditação sobre as formas de progressivamente compreender que o universo é
transitório e tudo depende de tudo
FRANCISCO MADUREIRA
Editor de Informática da Folha Online

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.