Papa pede que católicos rezem pela Igreja na China

Para que “supere a tentação de um caminho independente de Pedro”

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 18 de maio de 2011 (ZENIT.org) – Bento XVI convidou hoje toda a Igreja a rezar pelos católicos chineses, pela unidade e a reconciliação entre as comunidades oficial e clandestina.

Após a catequese desta quarta-feira, o Papa quis fazer um chamado às vésperas do Dia de Oração pela Igreja na China – 24 de maio -, festa de Nossa Senhora de Sheshan, cujo santuário fica em Shanghai.

“A Igreja na China, sobretudo hoje, precisa da oração da Igreja universal”, afirmou o Papa. Ele convidou “em primeiro lugar todos os católicos chineses a seguirem e intensificarem sua própria oração, sobretudo a Maria Virgem forte”.

Mas também estendeu seu chamado “a todos os católicos do mundo”, pois rezar pela Igreja na China “deve ser um compromisso: esses fiéis têm direito a nossa oração, têm necessidade de nossa oração”.

Recordando a eficácia da oração da primeira comunidade cristã por Pedro encarcerado, o Papa afirmou que “com a oração podemos obter para a Igreja na China que seja una, santa e católica, fiel e firme na doutrina e na disciplina eclesial”.

Comunhão com Pedro

O Papa enfatizou a questão da falta de liberdade da Igreja na China. Aludiu à “tentação” de se separar da Igreja universal.

“Os católicos chineses, como eles disseram muitas vezes, querem a unidade com a Igreja universal, com o Pastor supremo, com o Sucessor de Pedro”, afirmou o pontífice.

No entanto – acrescentou -, “sabemos que entre nossos irmãos bispos há alguns que sofrem e estão sob pressão no exercício de seu ministério episcopal”.

“A eles, aos sacerdotes e a todos os católicos que encontram dificuldades na livre profissão de fé, expressamos nossa proximidade.”

“Com nossa oração, podemos ajudá-los a encontrar o caminho para manter viva a fé, forte a esperança, ardente a caridade com todos e íntegra a eclesiologia que herdamos do Senhor e dos Apóstolos e que nos foi transmitida com fidelidade até nossos dias.”

Com a oração, “podemos alcançar que seu desejo de estar na Igreja una e universal supere a tentação de um caminho independente de Pedro”, acrescentou o Papa.

Por último, invocou a intercessão da Virgem Maria, para que “ilumine todos que estão na dúvida, chame os extraviados, console os aflitos, fortaleça os que são sugados pelos cantos de sereia do oportunismo”.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.