Papa pede orações pela Igreja na China

Apelo
durante a audiência geral

CIDADE DO
VATICANO, quarta-feira, 1º de dezembro de 2010 (ZENIT.org) – Bento XVI pediu hoje aos católicos do mundo
inteiro que rezassem pela Igreja na China, na conclusão da audiência geral na
Sala Paulo VI.

“Confio
às vossas orações e às dos católicos do mundo inteiro a Igreja na China, que,
como sabeis, está passando por um momento particularmente difícil”, disse
ele, referindo-se à ordenação episcopal ilícita realizada em 20 de novembro.

Bento XVI
destacou: “Pedimos à Santíssima Virgem Maria, Auxílio dos Cristãos, que
ajude todos os bispos chineses, tão queridos por mim, para que deem testemunho
da sua fé com coragem, colocando toda a esperança no Salvador que
esperamos”.

“Confiemos
também à Virgem todos os católicos desse país amado, de modo que, por sua
intercessão, possam ter uma autêntica existência cristã, em comunhão com a
Igreja universal, contribuindo também para a harmonia e o bem comum do seu
nobre povo”, acrescentou.

Entre os
milhares de fiéis reunidos para a audiência, havia um grupo de católicos
chineses, que foi saudado calorosamente pela assembleia.

A Igreja na
China está passando por momentos difíceis, com a ordenação ilícita do Pe. José
Guo Jincai como bispo de Chendge, realizada sem mandato apostólico e apesar da
oposição explícita da Santa Sé.

A Santa Sé
anunciou, em 24 de novembro, que se está estudando a possibilidade de
excomunhão Pe. Guo Jincai e dos bispos envolvidos no ato de consagração, e que
se reserva a avaliação da possível invalidez da ordenação episcopal.

O Papa não
escondeu o seu “profundo pesar” pela decisão das autoridades chinesas
de continuar com essa ordenação, que acredita contradizer “a atmosfera de
respeito, criada com muito esforço com a Santa Sé e com a Igreja Católica
através das recentes ordenações episcopais”.

A Santa Sé
declarou que a ordenação de 20 de novembro na China “é uma dolorosa ferida
à comunhão eclesial e uma grave violação da disciplina católica”.

Além disso,
o fato de que muitos bispos tenham sido submetidos a “pressões e
restrições da sua própria liberdade de movimento, sendo forçados a participar e
conferir a ordenação episcopal”, é, de acordo com a Santa Sé, “uma
grave violação da liberdade de religião e de consciência”.

Com esta
ordenação ilegítima, o Pe. Guo Jincai e os bispos que participaram dela
poderiam incorrer na pena de excomunhão, com base no cânone 1382 do Código de
Direito Canônico.

A Santa Sé
reafirmou “sua disponibilidade para o diálogo”, mas observando
“amargamente”, que “as autoridades deixam que a direção da
Associação Patriótica Católica da China, sob a influência de Liu Bainian,
assuma atitudes que prejudicam seriamente a Igreja Católica e obstaculizam tal
diálogo”.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.