Papa pede escolas católicas de verdade

Pontífice recebeu bispos indianos em visita ad limina

CASTEL GANDOLFO, quinta-feira, 8 de setembro de 2011 (ZENIT.org) – O Papa Bento XVI pediu hoje aos bispos indianos de rito latino que velem para que suas escolas “sejam verdadeiramente católicas” e que respeitem a “herança espiritual e intelectual da Igreja”.

Ao receber em Castel Gandolfo este quinto grupo de bispos da Índia, presentes em Roma para a visita ad Limina Apostolorum, o pontífice sublinhou a importância da missão educativa da Igreja neste país.

As escolas católicas na Índia gozam de um importante status social pela qualidade de sua formação. Atualmente, a Igreja nesse país mantém cerca de 15 mil centros educativos.

“A Igreja na Índia foi abençoada com grande quantidade de instituições que pretendem ser expressão do amor de Deus pela humanidade, através da caridade e do exemplo dos sacerdotes, religiosos e fiéis leigos que formam parte delas”, afirmou, destacando a instituição escolar.

Bento XVI reconheceu “os esforços realizados por toda comunidade cristã para preparar os jovens cidadãos para construir uma sociedade mais justa e próspera”.

Nesse sentido, o Papa convidou os bispos a continuar “prestando uma especial atenção à qualidade do ensino das escolas presentes em suas dioceses, para assegurar que sejam realmente católicas e, portanto, capazes de transmitir estas verdades e valores necessários para a salvação das almas e a construção da sociedade”.

Ele aludiu à importância de promover uma forma de apresentar a verdade “amavelmente, mas com firmeza”, um “dom que deve ser fomentado sobretudo nos que ensinam nos institutos católicos de educação superior e naqueles que estão a cargo da tarefa eclesial de ensinar seminaristas, religiosos e fiéis leigos, seja teologia, estudos catequéticos ou espiritualidade cristã”.

“Aqueles que ensinam em nome da Igreja têm a obrigação especial de respeitar a riqueza da tradição, de acordo com o Magistério e de uma maneira que corresponda às necessidades de hoje, enquanto que os estudantes têm o direito de receber a plenitude da herança espiritual e intelectual da Igreja”, disse.

Com uma “sólida formação” e “dedicados à caridade na verdade”, os agentes pastorais “são muito mais capazes de contribuir para o crescimento da Igreja e o avanço da sociedade hindu”, dando “um sólido testemunho cristão na amizade, respeito e amor, e lutando não para condenar o mundo, mas para oferecer-lhe o dom da salvação”.

Nesse sentido, pediu aos bispos que estimulem os agentes educativos a “aprofundar sua fé em Jesus Cristo, crucificado e ressuscitado da morte. Ajudai-os a chegar até seu próximo, para que, através de sua palavra e de seu exemplo, possam proclamar melhor Cristo como Caminho, Verdade e Vida”.

Por outro lado, disse que as escolas católicas “não são o único meio através do qual a Igreja instrui e edifica sua gente na verdade moral e intelectual, pois todas as atividades da Igreja têm o propósito de glorificar a Deus e preencher seu povo com a verdade que nos torna livres”.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.