Papa pede aos cristãos que sejam testemunhas do Evangelho sem esperar recompensas

Segundo o ACI Digital (12/06/2018), durante a Missa celebrada na manhã de hoje, na Casa Santa Marta, o Papa Francisco destacou a importância do “simples testemunho habitual, que se oferece todos os dias”, sem esperar nenhum mérito.

O Santo Padre explicou que o maior testemunho do cristão é dar a vida como Jesus fez, isto é, o martírio. Entretanto, há também outro testemunho, de todos os dias, “que começa pela manhã, quando se acorda, e termina à noite, quando se vai dormir”.

Esse testemunho é “ser sal e luz para os outros, sem nenhum mérito”. “Pode parecer pouco”, disse Francisco, “mas o Senhor com pouco faz milagres, faz maravilhas”. Portanto, é preciso ter uma atitude de “humildade”, que consiste em tentar ser somente sal e luz.

“Sal para os outros, luz para os outros, porque o sal não dá sabor a si mesmo, sempre a serviço. A luz não ilumina si mesma, sempre a serviço. Sal para os outros. Pouco sal que ajuda nas refeições, mas pouco. No supermercado, o sal não é vendido em toneladas, não… Pequenos pacotes; é suficiente. E depois, o sal não se orgulha de si mesmo porque não está a serviço de si mesmo. Está sempre ali para ajudar os outros: ajudar a preservar as coisas, a dar sabor às coisas. Simples testemunho”.

Portanto, continuou o Pontífice, ser cristão de todos os dias significa ser luz “para as pessoas, para ajudar nas horas de escuridão”.

“O Senhor nos diz assim: ‘Você é sal, você é luz’”, mas o cristão deve ser sal e luz no anonimato, sem nenhum mérito. “Quando comemos não dizemos: ‘Ah, bom o sal!’, Não!: ‘Bom o macarrão, boa a carne, boa…’. Não dizemos: ‘Que bom o sal’. À noite, quando vamos para casa, não dizemos: ‘Que boa a luz’, não. Ignoramos a luz, mas vivemos com aquela luz que ilumina. Esta é uma dimensão que faz com que nós cristãos sejamos anônimos na vida”.

O Papa sublinhou que “não somos protagonistas dos nossos méritos” e assinalou que não é preciso fazer como o fariseu, que agradece ao Senhor pensando ser santo.

“E uma bela oração para todos nós, no final do dia, seria se perguntar: ‘Fui sal hoje? Fui luz hoje?’. Esta é a santidade de todos os dias. Que o Senhor nos ajude a entender isso” concluiu o Pontífice.

Leitura comentada pelo Papa Francisco:

Mt 5, 13-16

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 13“Vós sois o sal da terra. Ora, se o sal se tornar insosso, com que salgaremos? Ele não servirá para mais nada, senão para ser jogado fora e ser pisado pelos homens.

14Vós sois a luz do mundo. Não pode ficar escondida uma cidade construída sobre um monte. 15Ninguém acende uma lâmpada e a coloca debaixo de uma vasilha, mas sim num candeeiro, onde ela brilha para todos os que estão em casa. 16Assim também brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus”.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/papa-pede-aos-cristaos-que-sejam-testemunhas-do-evangelho-sem-esperar-recompensas-79054

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.