Papa: jugo de Cristo é suave, mas exigente

41 arcebispos recebem o símbolo da união com Pedro

CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 30 de junho de 2011 (ZENIT.org) – Bento XVI recordou a 41 novos arcebispos que o jugo de Cristo é de amizade, mas também é exigente e nos forma, nesta quarta-feira, ao celebrar a Missa na festividade dos santos Pedro e Paulo na Basílica de São Pedro.

Todo ano, nesta festa, os novos arcebispos da Igreja (ou os que já eram arcebispos, mas que não foram designados a novas arquidioceses) recebem o pálio (uma faixa circular que carregarão sobre os ombros), sinal de comunhão com o Papa. Mas ontem a celebração era ainda mais importante, já que o Santo Padre estava comemorando o 60º aniversário da sua ordenação sacerdotal.

Depois de uma cálida reflexão sobre o seu sacerdócio e as lições de seis décadas, ele se centrou nas palavras de Cristo “Já não vos chamo servos, mas amigos” e voltou a dirigir-se àqueles que recebiam o pálio.

Brasil e Estados Unidos são as nações que têm o maior número de arcebispos – sete e quatro, respectivamente -, ainda que os dos EUA sejam mexicanos nativos.

O pálio, disse o Papa, “nos recorda, em primeiro lugar, o jugo suave que Cristo colocou sobre nós. O jugo de Cristo é idêntico à sua amizade. É um jugo de amizade e é um ‘jugo suave’, mas também é exigente, e nos forma. É o jugo da sua vontade, que é uma vontade de verdade e de amor”.

O Santo Padre destacou que o pálio é feito de lã: “Isso nos recorda que o próprio Pastor se converteu em um cordeiro, por amor a nós”.

“Recorda-nos que Cristo atravessou as montanhas e os desertos, nos quais a sua ovelha, a humanidade, havia se perdido – disse. Recorda-nos que ele tomou a ovelha, a humanidade, a mim, sobre os seus ombros para nos levar para casa.”

E acrescentou: “Recorda-nos que também nós, como pastores ao seu serviço, temos de levar outros, carregando-os em nossos ombros e conduzindo-os a Cristo”.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.