Papa Francisco nomeará João Paulo II como patrono das Jornadas Mundiais da Juventude

ppjpii060214O site ACI informou nesta quinta-feira (06/02/14) que a Santa Sé divulgou hoje a Mensagem do Papa Francisco aos jovens para a XXIX Jornada Mundial da Juventude 2014 (JMJ) que se celebra no Domingo de Ramos em Roma. No texto o Santo Padre assinala que “depois de sua canonização, que é um acontecimento que enche o nosso coração de alegria”, o Pontífice polonês será o grande patrono das JMJ, de que foi iniciador e impulsionador.

Nesta primeira mensagem que o Papa Francisco dirige aos jovens pelas JMJ, ilustra sobre os temas das três próximas Jornadas, dando início ao itinerário de preparação espiritual que, ao longo de três anos, guiará à celebração internacional em Cracóvia, em julho de 2016. A primeira JMJ se celebrou em Buenos Aires em 1987 com a presença de João Paulo II.

O tema desta primeira mensagem é: “Felizes os pobres em espírito, porque deles é o Reino do Céu”. Os temas das três próximas JMJ, tirados das Bem-aventuranças do Evangelho, mostram como o Santo Padre considera esta passagem do Evangelho de Mateus um ponto de referência central para a vidados cristãos, chamados a fazer dele um concreto programa de vida.

Nesta mensagem, o Papa recorda “o encontro extraordinário que vivemos no Rio de Janeiro, na XXVIII Jornada Mundial da Juventude: uma grande festa da fé e da fraternidade. A boa gente brasileira acolheu-nos de braços escancarados, como a estátua de Cristo Redentor que domina, do alto do Corcovado, o magnífico cenário da praia de Copacabana”.

“Nas margens do mar, Jesus fez ouvir de novo a sua chamada para que cada um de nós se torne seu discípulo missionário, O descubra como o tesouro mais precioso da própria vida e partilhe esta riqueza com os outros, próximos e distantes, até às extremas periferias geográficas e existenciais do nosso tempo”.

O Santo Padre recorda aos jovens que Jesus mesmo mostrou o caminho que devemos seguir, encarnando as Bem-aventuranças em toda a vida. Viver as Bem-aventuranças hoje é para os jovens um verdadeiro desafio ao seguir a Cristo, indo contracorrente e testemunhando sua novidade revolucionária.

Posto que não é possível ser cristãos e ter uma ideia “pequena” da vida, o Papa exorta os jovens a que rejeitem toda oferta de felicidade “a baixo preço”, a encontrar o “valor da felicidade” autêntica que só Deus pode dar.

O Papa Francisco explica aos jovens o que significa ser pobres de espírito, entrando na parte essencial do tema da próxima Jornada Mundial da Juventude. Jesus mesmo escolheu um caminho de humilhação e de pobreza, e o Papa dirige aos jovens o convite insistente de imitar a imitar Jesus, indicando o exemplo de São Francisco de Assim. Por isso, os jovens cristãos estão chamados à conversão, a abraçar um estilo de vida evangélico marcado pela sobriedade, a busca do essencial e a solidariedade concreta em relação aos pobres.

Os pobres são, assim explica o Papa, por um lado “a carne que sofre” de Cristo, que todos estamos chamados a tocar pessoalmente, mas por outro lado podemos nos converter em verdadeiros mestres de vida, pois podemos oferecer tanto a nível humano e espiritual.

O Papa destaca a seguir o profundo vínculo entre o tema da JMJ de Rio: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” e as Bem-aventuranças dos pobres de espírito. De fato, o Papa Francisco explica que, “a pobreza evangélica é condição fundamental para que o Reino de Deus se estenda”, pois frequentemente é dos corações mais simples de onde brota a autêntica alegria, que é o motor mesmo da evangelização.

O Santo Padre recorda, por último, o trigésimo aniversário da entrega da Cruz do Jubileu da Redenção aos jovens, que se celebrará o próximo 22 de abril.

“Foi precisamente a partir daquele ato simbólico de João Paulo II que iniciou a grande peregrinação juvenil que, desde então, continua a atravessar os cinco continentes”. E o papa Francisco anuncia aos jovens que, depois de sua canonização, que é um “acontecimento que enche o nosso coração de alegria”, João Paulo II “será o grande patrono das JMJ, de que foi iniciador e impulsionador”.
Fonte: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=26667

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.