Os efeitos do Sacramento da Confissão

0323Confissão“Os efeitos espirituais do sacramento da Penitência, conforme o Catecismo ( §1496) são:

1 – a reconciliação com Deus, pela qual o penitente recobra a graça;

2 – a reconciliação com a Igreja;

3 – a remissão da pena eterna devida aos pecados mortais;

4 – a remissão, pelo menos em parte, das penas temporais, sequelas do pecado;

5 – paz e serenidade da consciência, e consolação espiritual;

6 – o acréscimo de forças espirituais para o combate cristão.

Veja quantas bênçãos nos traz este sacramento. Certa vez o Papa João Paulo II disse que “os consultórios dos psiquiatras estão lotados, porque os confessionários estão vazios”.

A Confissão cura a mente e põe a paz no coração, pois cura as chagas da nossa alma. Além disso, faz crescer em nós as forças espirituais para sermos fiéis a Deus.

Sem o auxílio do sacramento da Penitência não podemos almejar a santidade, uma vez que, após o pecado mortal, é através desse sacramento que podemos obter a reconciliação com Deus e com a Igreja (Cat. § 1497).

É de todo lamentável que muitos batizados se afastem desse Sacramento que significa a maior das misericórdias de Deus para conosco – o perdão de nossos pecados, que são o câncer de nossa alma. Fico pensando se um canceroso soubesse que existe o remédio fácil e disponível para a sua cura, mas se recusasse a tomá-lo… Seria uma loucura inexplicável; pois bem, é exatamente assim que fazem aqueles que se afastam deste augusto Sacramento.

senhor_tende_piedadeLeia também: Confissão no Código de Direito Canônico

Preparando o coração para uma boa confissão

O grande Sacramento da Confissão

Podemos resumir os efeitos espirituais do sacramento da Penitência como se segue:

A reconciliação com Deus, pela qual o penitente recobra a graça; volta à amizade e à comunhão com Deus. “Toda a força da Penitência reside no fato de ela nos reconstituir na graça de Deus e de nos unir a Ele com a máxima amizade” (Cat. R. 2,5,18).

A reconciliação com a Igreja; o Corpo de Cristo onde estão inseridos todos os batizados, e com quem Cristo vai celebrar as bodas eternas na casa do Pai, reintegra o pecador no rebanho de Cristo.

A remissão da pena eterna devida aos pecados mortais concede ao pecador o estado de graça; sem ele, pode o pecador impenitente chegar a uma vida eterna longe de Deus, no estado de vida chamado de inferno; frustração total.

A remissão, pelo menos em parte, das penas temporais, sequelas do pecado, são as penas temporais devidas aos pecados já perdoados; se não forem cumpridas nesta vida poderão ser cumpridas no Purgatório.

cpa_como_confessarAssista também: A importância da confissão

A paz e a serenidade da consciência e a consolação espiritual dá sossego, equilíbrio e felicidade ao cristão; ele não carrega mais o sentimento de culpa que tanto mal faz às pessoas. Os que recebem o sacramento da Penitência com coração contrito e disposição religiosa, “podem usufruir da paz e tranqüilidade da consciência, que vem acompanhada de uma intensa consolação espiritual” (Conc. Trento, DS, 1674). O sacramento da Reconciliação com Deus traz consigo uma verdadeira “ressurreição espiritual”, uma restituição da dignidade e dos bens da vida dos filhos de Deus.

O acréscimo de forças espirituais para o combate cristão, são não só perdoa os pescados, como cura a nossa alma e a fortalece na luta contra as paixões desordenadas.

Prof. Felipe Aquino

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.