Orinetações pastorais sobre a Renovação Carismática Católica

CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL

34ª Reunião Ordinária do Conselho Permanente/1994
Brasília, DF, 22 a
25 de novembro de 1994

60. Nas celebrações com doentes, não se usem gestos que dão a falsa  impressão de um gesto sacramental coletivo ou
que uma espécie de “fluido  espiritual” viesse a operar curas.

 62. Orar e falar em línguas: O destinatário da oração em línguas é o próprio
 Deus, por ser uma atitude da pessoa absorvida em conversa particular com  Deus.
E o destinatário do falar em línguas é a comunidade. O apóstolo Paulo ensina:
“Numa assembléia prefiro dizer cinco palavras com a minha inteligência
para instruir também aos outros, a dizer dez mil palavras em línguas”
(1Cor 14,19). Como é difícil discernir, na prática, entre  inspiração do
Espírito Santo e os apelos do animador do grupo reunido, não  se incentive
a chamada  oração em línguas e nunca se
fale em línguas sem que  haja intérprete.

 63. Dom da profecia: Na Bíblia, profeta é o que fala em nome de Deus.
Significa, pois, um evangelizador. É a comunicação de assuntos espirituais aos
participantes de reuniões comunitárias, aos quais se dirigem palavras de  exortação
e encorajamento. “Aquele que profetiza, fala aos homens: edifica, consola,
exorta” (1Cor 14,3). É um dom para o bem da comunidade e não tem em vista
adivinhações futuras.

 65. Em Assembléias, grupos de oração, retiros e outras reuniões evite-se
a  prática do assim chamado “repouso no Espírito”. Essa prática
exige maior   aprofundamento, estudo e discernimento.

66. Poder do mal e exorcismo: Cristo venceu o demônio e todo o espírito do   mal. Nem tudo se pode atribuir ao
demônio, esquecendo-se o jogo das causas segundas e outros fatores psicológicos
e até patológicos.

68. Procure-se, ainda, formar adequadamente as lideranças e os membros da  RCC para superar uma preocupação exagerada com
o demônio, que cria ou  reforça uma
mentalidade fetichista, infelizmente presente em muitos  ambientes.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.