Organização de ateus está tentando demolir cruz do World Trade Center

ALBANY, N.Y., EUA, 28 de julho de 2011 (Notícias Pró-Família) – Quando duas vigas principais de aço foram encontradas intactas, na forma de uma cruz, no meio dos escombros do World Trade Center depois do ataque terrorista de 11 de setembro de 2001, muitos a aclamaram como um mini-“milagre” e sinal de esperança para um país assediado por um devastador ataque terrorista.
Contudo, agora uma organização de ateus entrou com uma ação judicial buscando demolir essa cruz, que foi mudada recentemente para o Memorial e Museu 9/11 na Cidade de Nova Iorque.

A organização Ateus Americanos entrou com sua ação judicial, Ateus Americanos versus Autoridade Portuária de Nova Iorque e Nova Jérsei, no tribunal do estado de Nova Iorque na segunda-feira.
“O que estamos procurando é uma solução que honre todos de forma igual, com uma exposição que tenha neutralidade religiosa, ou uma exposição de igual tamanho e proeminência”, disse Dave Silverman, o diretor da organização.
De acordo com a ação judicial, os membros de Ateus Americanos “estão sendo sujeitos a e prejudicados pela consequência de ter uma tradição religiosa que não é sua imposta sobre eles por meio do poder do Estado”.

Entretanto, as autoridades do Museu Memorial 9/11 defenderam a cruz, dizendo que a missão do museu é simplesmente “contar a história do 11 de setembro por meio de artefatos históricos como a cruz do World Trade Center”.
“Este refugo de aço se tornou um símbolo de consolo espiritual para os milhares de trabalhadores da recuperação que trabalharam no lugar onde o World Trade Center foi destruído, bem como para as pessoas ao redor do mundo”, disse numa declaração o presidente do museu, Joe Daniels.

A ação judicial está também tendo a oposição do Fundo de Defesa Aliança (FDA), uma organização advocatícia que defende os interesses do público.
“A agenda de uma única organização de ateus não deveria diminuir o sacrifício feito pelos heróis do 11 de setembro”, disse Byron Babione, consultor jurídico graduado do FDA, o qual argumentou que a cruz “simplesmente não equivale a um ato governamental instituindo uma religião”.
“A cruz não somente é conhecida em todos os lugares como um símbolo religioso, mas também como um símbolo de morte, memória e honra aos mortos. Os americanos há muito tempo reconhecem isso. Nada na Constituição autoriza os ateus a sair por aí numa missão de buscar e destruir cruzes memoriais”.

Em 2005, os Ateus Americanos haviam entrado com uma ação judicial num tribunal federal para demolir as cruzes à beira de estrada que honravam os policiais rodoviários de Utah mortos em serviço. O FDA, que representa a Associação de Policiais Rodoviários de Utah, recorreu desse caso no Supremo Tribunal dos EUA.Em abril de 2010, o Supremo Tribunal dos EUA concluiu que um memorial de veteranos na forma de uma cruz no Deserto de Mojave na Califórnia não tinha de ser removido. Nessa decisão, o tribunal escreveu:
“A meta de evitar endosso governamental não requer a erradicação de todos os símbolos religiosos da esfera pública. A Constituição não obriga o governo a evitar nenhum reconhecimento público do papel da religião na sociedade”.
“Cruzes têm sido usadas para honrar heróis mortos em combate neste país desde sua fundação”, disse Tom Marcelle, consultor jurídico graduado do FDA com sede em Albany. “O FDA está de prontidão para defender a Cruz do World Trade Center de qualquer forma que puder, exatamente como temos defendido muitos outros memoriais de cruzes em todo o país”.

***
John Jalsevac

Traduzido por Julio Severo: http://www.juliosevero.com

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com

Veja também este artigo original em inglês:
http://www.lifesitenews.com/news/atheist-lawsuit-seeks-to-tear-down-world-trade-center-cross

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.