O Vaticano se alegra pelos progressos da ciência?

PontificiaAcademiaDeLasCienciasO site ACI/EWTN Noticias informou nesta terça-feira (04/11/14) que, segundo Dom Bernardito Aúza, o Observador Permanente da Santa Sé: “A Igreja se alegra pelos progressos da ciência”. O Prelado o afirmou na ONU, ao referir-se à exploração do espaço exterior, atividade empreendida pela humanidade que também permite que o homem aprofunde na “compreensão da fé e a sua relação com a ciência”.

Dom Aúza fez esta afirmação em 17 de outubro durante a sessão do Comitê especial político e sobre a descolonização, cujo tema foi a “Cooperação internacional nos usos pacíficos do espaço ultraterrestre”.

“Desde os começos de sua história –recordou- a humanidade sempre olhou para o firmamento com assombro e com o desejo de compreender a realidade celestial e seu significado em relação à humanidade mesma”.

“Levando em consideração as perguntas fundamentais que sempre despertou, a exploração do universo aprofundou também a compreensão da fé e a sua relação com a ciência”, afirmou.

Nesse sentido, destacou Dom Aúza, “a Santa Sé acredita que a fé é capaz tanto de expandir como de enriquecer os horizontes da razão; portanto, alegra-se pelos incríveis progressos das ciências já que vê neles tanto um produto do enorme potencial da mente humana criada por Deus, como uma manifestação da amplitude e riqueza da criação”.

Este discurso foi pronunciado dez dias antes das palavras do Papa Francisco para a Pontifícia Academia das Ciências, onde afirmou que “o princípio do mundo não foi produto do caos, deriva diretamente de um Princípio Supremo que cria por amor. O Big Bang, que é designado como a origem do mundo, não contradiz o ato divino da criação. Em vez disso, exige-o. A evolução da natureza não contrasta com a ideia de criação, pois a evolução pressupõe a criação de seres que evoluem”, afirmou o Papa.

O interesse do Vaticano pela promoção das ciências se remonta a séculos atrás, quando em 1603 se criou a Academia Nacional dos Linces sob o patrocínio de Clemente VIII e do príncipe romano Federico Cesi.

Entretanto, esta instituição desapareceu e posteriormente em 1847 o Papa Pio IX fundou a Pontifícia Academia dos Novos Linces. Pio XI voltou a promover o desenvolvimento das ciências em 1936 com a atual Pontifícia Academia das Ciências.

Fonte:http://www.acidigital.com/noticias/o-vaticano-se-alegra-pelos-progressos-da-ciencia-89880/

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.