O Vaticano pede para que o álcool seja erradicado do mundo do esporte

ppalcoholdeporte11082013O site ACI informou nesta segunda-feira (12/08/13), que na seção “Igreja e Esporte” do Pontifício Conselho para os Leigos, dirigida pelo espanhol Santiago Pérez de Camino, chamou a atenção sobre os efeitos do álcool e sua associação indevida à celebração no mundo do esporte.

“O alcoolismo é um drama, e um problema muito sério e difícil de erradicar. Não só afeta física e psicologicamente à pessoa, mas tem uma repercussão em quem está ao redor”, assinala a entidade em um artigo publicado em seu site e recorda que “quem pratica esporte tanto de maneira profissional como amadora, deveria ter em conta que a máxima do esporte é a saúde”.

“Sua responsabilidade, vai mais além do respeito a si mesmos; são pessoas que despertam admiração e muitos deles são modelos para os jovens adolescentes que -no período de instabilidade em que vivem- em cada gesto, em cada ação, veem um exemplo para seguir em seus comportamentos”, acrescentam.

“Festejar os triunfos esportivos com álcool se converteu em algo frequente. Jogadores, torneios, campeonatos esportivos nacionais e internacionais de qualquer tipo recorrem a ele de maneira bastante chamativa… Onde fica a imagem do esporte como exemplo de vida?”, questiona.

A seção do Vaticano põe como exemplo da degradação esportiva a celebração do título da Eurocopa 2012 por parte dos jogadores da equipe espanhola. Então, o máximo representante na luta contra a dependência de drogas na Espanha, Ignacio Calderón, foi especialmente crítico.

Outro caso que resgatam é o da delegação russa, que decidiu proibir aos esportistas russos e ao conjunto da delegação oficial durante os Jogos Olímpicos de Londres, o consumo de álcool depois do que aconteceu nos Jogos Olímpicos de inverno de Vancouver em 2010. “Os valores olímpicos não são compatíveis com o álcool”, declarou o porta-voz russo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o consumo nocivo de bebidas alcoólicas provoca dois milhões e meio de mortes por ano, destes, há 320 mil jovens com idade entre 15 e 29 anos, nove por cento do total.

A notícia ainda ressalta, que o artigo esclarece que não se trata de “demonizar” o consumo de álcool e recorda os benefícios que bebidas como o vinho, em baixas quantidades , podem trazer às pessoas.

 

Fonte: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=25860

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.