O Tamanho da corrupção no Brasil

bandeira-do-brasil-1318544938Estamos no período eleitoral e todos sabemos o quanto o nosso voto é  importante para melhorar o país. Não podemos brincar de votar, de anular o voto, de votar só para cumprir a obrigatoriedade que a lei impõe. Não! Votar é exercer o direito e o dever de cidadania. É uma grande responsabilidade de cada um, especialmente de nós cristãos.

Muitos são os problemas hoje do nosso querido Brasil: transportes ineficientes, inflação crescente e ameaçadora, falta de boa educação, falta de moradia para o povo, segurança precária, falta de hospitais, médicos, bom atendimento, falta de saneamento básico em muitos lugares, falta de infraestrutura em estradas, portos e aeroportos;  e, sobretudo, corrupção, que sangra os cofres da Nação.

Para se ter conhecimento de quanto a corrupção faz sangrar o país, publico abaixo alguns dados sobre ela, publicados em uma revista de circulação nacional. É de chorar de tristeza quando se sabe que esse dinheiro imenso, ‘roubado’, poderia estar pagando a saúde, a vida, o transporte, a educação e a segurança de muitos carentes desses recursos. Faltam investimentos para o país crescer e se desenvolver, sem o que o nosso PIB nunca poderá ser pequeno. “Apenas 8,6% do aumento da arrecadação de impostos, entre 1995 e 2010, retornaram à sociedade na forma de investimentos públicos promovidos pela administração federal direta, sem computar as estatais”.

São muitos os motivos para se indignar com esta situação atual do Brasil. Diz a revista que:

“São 720 bilhões de reais roubados nos últimos 10 anos”.  19% na área municipal;  30% estadual; 51% federal. Foram “85 bilhões de reais roubados pelos corruptos brasileiros no ano passado. Com esse dinheiro seria possível:

1 – erradicar a miséria;

2 – custear 17 milhões de sessões de quimioterapia;

3 – custear 34 milhões de diárias de UTI nos melhores hospitais;

4 – construir 241 km de metrô;

5 – construir 36.000 km de rodovias;

6 – construir 1,5 milhões de casas;

7 – reduzir 1, 2% na taxa de juros;

8 – dar a cada brasileiro um prêmio de 443 reais;

9 – custear 2 milhões de bolsas de mestrado;

10 – comprar 18 milhões de bolsas de luxo (Iguais aquelas que os corruptos presenteiam suas mulheres e amantes)”.

Os ministérios campeões em irregularidades:  Saúde – 2,2 bilhões ; Integração Nacional – 1,1 bilhão ; Educação – 700 milhões ; Fazenda – 617 milhões;  Trabalho e Emprego – 475 milhões; Planejamento – 440 milhões; Meio Ambiente – 260 milhões; Cultura – 184 milhões; Ciência e Tecnologia – 130 milhões; Previdência – 120 milhões

(Fonte de todos os dados citados acima:  Revista VEJA – n. 44, ed. 2240 – n. 43 , 26/10/2011, pg. 76).

Sabemos que toda essa mazela só poderá ser eliminada quando o povo, consciente, educado, participativo, fizer valer a sua voz e o seu poder que se manifesta, sobretudo nas eleições. Aos poucos isso vai acontecer; cabe a cada um acordar seu amigo, seu pai, sua mãe, seu irmão, se colega de trabalho…

Prof. Felipe Aquino

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.