O Sacramento da Eucaristia

A Eucaristia é o cume da religião e a consumação do Sagrado. É o sacramento dos sacramentos, o mais excelente de todos. É a perfeição das perfeições, porque contém a perfeição suprema e a fonte de todas as graças: Jesus Cristo.

O pecado do homem suscitou a encarnação. Deus se fez homem, máximo amor de Deus em vez de máximo castigo. A Eucaristia prolonga a encarnação e seus benefícios de redenção e mediação. Cristo está entre nós com presença real.

Na Eucaristia recebemos não somente um auxílio de Deus, mas o próprio Deus feito pão de misericórdia e alimento em nossa peregrinação terrena, pois nada é tão próprio da caridade do que se comunicar intimamente com o amado e celebrá-lo com uma ceia ou refeição. A Eucaristia é o máximo banquete de Cristo com os homens.

Deus instituiu este sacramento debaixo das espécies do pão e do vinho para poder se comunicar intimamente conosco em forma de alimento transformando-nos n’Ele e fazendo-nos um com Ele.

Cristo opera em nossa natureza sem destruí-la, mas aperfeiçoando-a, revestindo-nos interiormente de seu poder, dando-nos a força divina que necessitamos para conseguir a vida eterna.

E da assimilação deste alimento divino brota a graça, que nos dá a possibilidade de operar e de ter méritos na ordem sobrenatural, fazendo-nos capazes de alcançar a vida eterna. Faz também brotar todas as virtudes morais que enriquecem nossa capacidade e a sobrenaturalizam.

O efeito deste sacramento é a caridade, não somente enquanto habito, mas também enquanto ato. Comungamos todas as virtudes da alma de Cristo e especialmente o seu amor. Pela virtude deste sacramento se faz uma certa transformação do homem em Cristo pelo amor.

O sacerdote ao pronunciar as palavras da consagração dá lugar à misteriosa transubstanciação. Toda a substância do pão e do vinho se converte na substância do corpo e do sangue de Cristo. Do pão e do vinho ficam somente os acidentes. Na eucaristia é o próprio Cristo que se faz presente, o mesmo Cristo que nos contam os Evangelhos e que vive agora glorioso, sentado à direita do Pai. Independente de nossa fé, vontade ou imaginação, ainda que não o honremos, é Ele que está ali. Não só como um sinal, como a bandeira o é para a pátria, não só com a sua virtude ou graça, como na administração do batismo ou confirmação. Ele está realmente presente em corpo, sangue, alma e divindade.

O que Ele nos pede na Eucaristia? Ele nos pede que permaneçamos em seu amor (Jo, 15,9). Que sejamos fiéis a Ele e que nos aproximemos da Eucaristia de forma digna, atenta e devota para que ela seja verdadeiramente este viático que nos leva ao céu. Por isso peçamos de joelhos diante do sacrário para que Cristo Eucarístico mantenha aceso em nossas almas o fogo da caridade e que faça nossa alma semelhante a vossa.

***
por Inácio Almeida

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.