O julgamento do Mensalão

Há sete anos se arrasta o julgamento do que é considerado o maior caso de corrupção no Brasil nos últimos tempos, envolvendo o governo do ex-presidente Lula. Na época o seu ministro da Casa Civil foi demitido e cassado pelo Congresso, como deputado federal. A Polícia Federal chegou às provas do crime. O inquérito do mensalão é consistente o bastante para resistir a ataques contra o seu julgamento. A segunda fase da apuração policial ligou os pontos que faltavam na denúncia original da Procuradoria-Geral. Foi amplamente comprovado o desvio de dinheiro público e não apenas o uso de caixa dois na campanha eleitoral.

Em função disso o Procurador Geral da República disse que houve a ação de “uma sofisticada organização criminosa”, e isso envolvendo o governo. Eis Trecho de denuncia criminal apresentada pelo Procurador-Geral da Republica, ao Supremo Tribunal Federal, em 30 de março de 2006:
 “O conjunto probatório produzido no âmbito do presente inquérito demonstra a existência de uma sofisticada organização criminosa, dividida em setores de atuação, que se estruturou profissionalmente para a prática de crimes como peculato, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, gestão fraudulenta, além das mais diversas formas de fraude. A organização criminosa ora denunciada era estruturada em núcleos específicos, cada um colaborando com o todo criminoso em busca de uma forma individualizada de contraprestação. Pelo que já foi apurado até o momento, o núcleo principal da quadrilha era composto pelo ex-Ministro José Dirceu, o ex- tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, Delúbio Soares, o ex-Secretário-Geral do Partido dos Trabalhadores, Sílvio Pereira, e o ex-Presidente do Partido dos Trabalhadores, José Genoíno”.
 
A integra da denuncia pode ser lida no portal do Ministério Publico Federal: http://www.pgr.mpf.gov.br/

Certamente haverá pressões gigantescas dos envolvidos e culpados para que o Supremo Tribunal Federal adie o julgamento do caso, como a Imprensa já tem divulgado. Então, o povo brasileiro precisa se manifestar junto ao STF para que não adie a decisão e passe a limpo o caso, para a honra do país. Quando se varre uma escada é preciso começar pelo primeiro degrau de cima.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.