O grave alerta de um bispo do Iraque para o Ocidente

bandeirairaqueurlO sultão muçulmano Solimão II, chamado o Magnífico, do século 16,  disse que “daria de comer alfafa a seu cavalo  sobre o altar da Basílica de São Pedro”. Acho que não é preciso explicar todo o sentido dessa frase. Graças a Deus isso ainda não aconteceu; mas é um sonho para alguns radicais do Islã, como esses que matam cristãos hoje no Iraque, sem dó nem piedade.

A Revista Veja (edição 2206- n. 9 de 02/03/2011, p. 96-98), trouxe uma matéria chocante (“O que eles fariam no Poder”), onde relata os pronunciamentos de alguns líderes radicais do Islamismo, vejamos:

Xeque Yusuf Al Qaradami do Grupo Irmandade Muçulmana do Egito: “Depois da libertação do Iraque, faltará conquistar Roma. Isso significa que o Islã vai retomar a Europa pela terceira vez. Vamos conquistar a Europa, vamos conquistar a América”. (Conferência da organização de muçulmanos jovens, em Toledo, EUA, 1995).

“Foi com enorme pesar que ouvi o imã de Meca dizer ser proibido matar civis mesmo em Israel” (Participando de um debate sobre ataques suicidas promovido pela revista Midle East Quartely, 2003).

“O plano do estado muçulmano é se expandir até cobrir toda a terra”. (Artigo no site muçulmano Islamonline.net).

“A obediência e a cooperação da mulher são um direito do homem. À mulher é proibido se rebelar contra a autoridade masculina”. (Passagem do livro – “O Permitido e o Proibido no Islamismo”.”

“Pode até haver algumas mulheres que não concordem em apanhar do marido e vejam a punição como humilhação. Muitas mulheres, porém, gostam de apanhar e consideram adequado que o marido bata nelas apenas para fazê-las sofrer” (Participando da Conferência de clérigos muçulmanos sobre as Regras Religiosas para o espancamento de esposas).

“A circuncisão feminina (mutilação genital) não é obrigatória, mas os pais devem submeter suas filhas a ela se quiserem. Pessoalmente  sou a favor”. (Artigo no IslamOnline.net, 2007).

Abdessalam Yassine – do Grupo Justiça e caridade Islâmica do Marrocos: “As piores bestas aos olhos de Alá são os apóstatas que não têm fé” (No mundo ganhando o mundo inteiro para o Islã, 2000).

Hassan Nashallah – do grupo Hezbollah do Líbano: “Israel, pode sim, centenas de vezes sim, deixar de existir” (Discurso em Beirute em 2006).

Agora, um Bispo do Iraque adverte que o “Ocidente será logo outra vítima do islamismo” (ROMA, 21 Ago. 14 – ACI/EWTN Noticias). O Arcebispo Caldeu de Mosul (Iraque), Dom Emil Nona, advertiu que os cristãos de todo o mundo enfrentariam o mesmo sofrimento que a sua arquidiocese sofreu nas mãos dos extremistas muçulmanos se não tomarem “decisões fortes e corajosas”.

Falando ao jornal italiano Corriere della Sera (09/08/2014) desde Erbil, no Curdistão Iraquiano, Dom Emil Nona advertiu que “nossos sofrimentos hoje são o prelúdio dos que vocês, europeus e cristãos ocidentais, também sofrerão no futuro próximo”.

Dom Emil foi obrigado a abandonar o seu lar pelo Estado Islâmico, um califado recentemente estabelecido no Iraque e Síria. Ele é um dos cinco bispos que foram obrigados a abandonar Mosul. “Perdi a minha diocese” disse o Arcebispo ao jornal italiano. “Os radicais islâmicos nos querem convertidos ou mortos. Mas a minha comunidade ainda está viva”.

De acordo com a ONU há mais de 1,2 milhões de pessoas deslocadas internamente no Iraque, e pelo menos 10 mil refugiados iraquianos na Síria, como resultado do Estado Islâmico.

Dom Nona apelou aos meios de comunicação ocidentais para que “tentem nos entender”. “Seus princípios liberais e democráticos não valem nada aqui. Devem considerar outra vez a nossa realidade no Oriente Médio, porque estão recebendo nos seus países um número cada vez maior de muçulmanos. Vocês também estão em perigo. Devem tomar decisões fortes e corajosas, inclusive a custa de contradizer os seus princípios”.

O Arcebispo Caldeu de Mosul lamentou que “vocês pensam que todos os homens são iguais, mas isso não é verdade: O Islã não diz que todos os homens são iguais. Os valores de vocês não são os valores deles”. “Se não entenderem isto o suficientemente rápido, se converterão em vítimas do inimigo que receberam em sua casa”, advertiu.

O Estado Islâmico assassinará 150 famílias cristãs em Qaraqosh se não se converterem ao Islã. (ROMA, 19 Ago. 14 – ACI/EWTN Noticias). Essas famílias se encontram sitiadas em suas casas em Qaraqosh (Iraque), pelos jihadistas do Estado Islâmico, que as deixarão morrer de fome e sede ou as executarão se não renunciarem a sua fé e se converterem ao Islã, denunciou o sacerdote Luis Montes, do Instituto do Verbo Encarnado desde Bagdá, pedindo ao mundo que reaja “e termine com esta barbárie”.

Os terroristas os visitam diariamente para pressioná-los a que se convertam ao Islã. Os familiares quase não têm alimentos e não podem sair para comprar. Inclusive seus vizinhos, que antes eram seus amigos, agora “se transformaram em inimigos. Quando os veem no pátio, exigem que se convertam e os maltratam”. Os terroristas tiraram as cruzes das Igrejas que foram desacralizadas sendo usadas para outros fins.

Fonte: https://www.kofc.org/irak

Prof. Felipe Aquino

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.