O Fim do Mundo ou a Renovação do Mundo? EB

Pululam profecias relativas a catástrofes e flagelos que devem assolar o mundo nos próximos anos em preparação do ano 2000, que deverá ser uma data de fim da era atual da história. Essas previsões apavoram a quem lhes dá crédito. A multiplicidade das mesmas parece ser a expressão de certo desânimo da sociedade contemporânea, que não encontra nos recursos convencionais  a solução para os problemas que a afligem.

Bem diverso é o pensamento oficial da Igreja. O S. Padre João Paulo II, em sua Carta Apostólica sobre o Terceiro Milênio, considera com certo otimismo este fim de século, que coincide com o Jubileu do nascimento de Cristo. O Papa propõe a renovação da vida dos fiéis mediante convicta e generosa resposta aos apelos do Senhor: conversão mais coerente e radical, oração mais intensa hão de ser os exercícios marcantes destes anos, Jesus iniciou sua pregação precisamente com as palavras: “Cumpriu-se o tempo e o Reino de Deus está próximo.  Arrependei-vos e crede no Evangelho” (Mc 1,15).

João Paulo II deseja que o ano de 1997 seja dedicado a Cristo; será o ano em que reavivaremos nossa consciência de batizados e fortaleceremos nossa fidelidade ao Senhor, aprofundando a fé que a Igreja nos transmite. O ano de 1998 será dedicado ao Espírito Santo e ao sacramento da Crisma, que nos faz adultos em Cristo. O ano de 1999 focalizará o Pai e promoverá a redescoberta do sacramento da Penitência, via de retorno Àquele que é o Alfa e o Ômega de toda a história. O ano de 2000 será o ano da Eucaristia, o sacramento da unidade: João Paulo II espera que naquela data, entre outros dons do Céu, se verifique maior aproximação dos cristãos separados. – Tal é a atitude oficial da Igreja diante da perspectiva do Jubileu do nascimento de Jesus, nos escritos do Santo Padre não se encontra uma palavra sobre profecias, calamidades, reino milenar de Cristo (…). Ora convém aos fiéis católicos “sentir com a Igreja”, caminhar fielmente com a Igreja.

O Senhor Jesus recusou-se a revelar o dia e a hora do fim dos tempos; cf. At 1,7. Muito sabiamente o fez, pois, para o cristão, mais importante do que a data da consumação dos séculos é a do seu encontro com Cristo no fim desta caminhada terrestre. É urgente a preparação desse momento através de uma conduta de vida pura e santa. O Evangelho insiste nessa preparação, como se depreende das palavras de Cristo: “Vigiai, porque não sabeis nem o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir” (Mt 25,13).  João Paulo II faz eco a esta exortação:

“É necessário suscitar em cada fiel um verdadeiro anseio de santidade, um forte desejo de conversão e renovação pessoal, num clima de oração cada vez mais intensa e de solidário acolhimento do próximo, especialmente do mais necessitado” (Tertio Millennio Adveniente nº 42).

Revista: “PERGUNTE E RESPONDEREMOS”
D. Estevão Bettencourt, osb
Nº 411 – Ano : 1996 – p. 337

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.