Novos caminhos para as células-tronco

Agência
FAPESP
– Novas perspectivas terapêuticas no tratamento de doenças usando
células-tronco foram apresentadas na quarta-feira (1º/12), primeiro dia do
Congresso de Células-Tronco e Terapia Celular, no Rio de Janeiro.

Além de
mostrar resultados de pesquisas com transplante de células-tronco
hematopoéticas no diabetes do tipo 1 e outras doenças auto-imunes, Julio
Voltarelli, professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da
Universidade de São Paulo, falou sobre a possibilidade de tratamento e cura da
asma e da esclerose lateral amiotrófica (ELA) – doença incurável que se
caracteriza pela degeneração progressiva dos neurônios motores no cérebro e na
medula espinhal.

“Existem
evidências teóricas que nos dizem que a terapia com células-tronco pode
funcionar no caso da asma. Quanto à ELA, estamos dando entrada amanhã (2/12) na
comissão de ética (da USP) e pretendemos começar os testes em 2005”,
revelou o pesquisador durante a apresentação “Terapia de células-tronco em doenças
auto-imunes”.

A
esclerose lateral amiotrófica é uma doença inflamatória e degenerativa que tem
incidência de dois a três indivíduos em cada cem mil. Os pacientes têm
sobrevida média de apenas três anos e o índice de morte é de 100% dos casos.

Assim como
a pólio, a doença destrói o neurônio motor. No caso, os procedimentos são
diferentes dos usados no transplante de células-tronco hematopoéticas para o
diabetes, cujas células são retiradas do sangue. Para a ELA, as células-mestras
são aspiradas diretamente da medula. “Achamos que, assim, ela provavelmente
terá uma maior facilidade em se diferenciar para neurônios”, explica
Voltarelli.

Ainda no
primeiro dia do congresso no Rio de Janeiro, Nicole Lê Douarin, do Institut de
France e do Instituto de Embriologia do Centro Nacional de Pesquisa Científica
(CNRS), da França, apresentou uma sessão sobre o uso de células-tronco animais
na regeneração celular e no reparo de tecidos. Outra francesa, Anne
Fagot-Largeaut, do College de France, falou sobre as discussões filosóficas e
antropológicas da terapia celular e do uso de células-tronco embrionárias
humanas.

O Congresso de Células-Tronco e Terapia Celular,
realizado dentro da Cátedra Unesco/UFRJ de Biologia do Desenvolvimento, no
campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro, termina na sexta-feira. O
evento é organizado pelos departamentos de Anatomia e Histologia e Embriologia,
da UFRJ, com apoio do CNPq, Capes, Academia Brasileira de Ciências, Fundação
José Bonifácio, Faperj, Ministère des Affaires Étrangéres e Institut-de-France.

02/12/2004

Por Washington Castilhos,
do Rio de Janeiro

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.