Novamente, mais de um milhão de pessoas se reúnem na França para protestar contra o “matrimônio” gay

bandeira_francaSegundo o site Zenit.org, a “Manif pour tous” (Manifestação em favor de todos), aconteceu no último domingo (26), em Paris, outra demonstração em massa que reuniu mais de um milhão de pessoas. Pediram que se retire a lei do ‘matrimônio’ entre pessoas do mesmo sexo.

A lei foi aprovada pela Assembleia Nacional, e o movimento quer evitar novas iniciativas legislativas do governo socialista, como a adoção de crianças por casais homossexuais.

Monsenhor Tony Anatrella, psicanalista e especialista em psiquiatria social, consultor do Pontifício Conselho para a Família e do da Saúde, foi um dos primeiros a alertar sobre as reivindicações do ‘matrimônio’ homossexual, a adoção de menores e de outros derivados da ideologia do gênero.

A coordenadora do serviço francês de ZENIT, Anita Bourdin, realizou uma ampla entrevista, na qual o prelado dá algumas chaves de interpretação, como “a força espiritual que se manifestou através dos participantes que acordaram politicamente em favor do matrimônio e da família”. Lembra que “as pessoas basicamente se mobilizaram e nada vai desencorajá-las até não tirarem a lei de um lobby que reduz a família ao que ela não é”.

Acrescenta na entrevista que “em milhares de jovens se despertou uma consciência política para lutar contra esta lei funesta e os Veilleurs (vigilantes) preparam no silêncio, na reflexão e na oração, o futuro que existirá graças a eles”.

Os Veilleurs não são uma organização oficial, combinam nas redes sociais como o Twitter. Reúnem-se nas praças públicas das principais cidades da França. Leem textos sobre a liberdade, a paz e a família.

Monsenhor Anatrella também indica que “o ambiente das manifestações é fundamentalmente familiar e não de extremistas, violentos, saqueadores, como dizem algumas mídias. E que as manifestações têm sido exemplares”.

Lembra que no dia 26 de maio foram mais de um milhão, e que os serviços da polícia indicaram que somente eram 150 mil, o que não é sério e nem credível. “Fizeram de tudo para minimizar e desacreditar o fenômeno”, afirma.

Acrescenta que “nos últimos dias a polícia fez prisões arbitrárias, como por exemplo, de pessoas que vestiam camisetas com a sigla ‘Manif pour tous’ ou que tiravam fotos ou colocavam bandeiras na rua”. Denunciou também “manifestações tardias de extremistas que não têm nada a ver com ‘Manif pour tous’”.

Há de se ressaltar que a “Manif pour tous”, movimento que se define pacífico, anti-homofóbico e apolítico depositou no Conselho Econômico, Social e Ambiental da França, no dia 15 de fevereiro desse ano, as primeiras 694.428 assinaturas da petição contra o projeto de “Matrimônio para todos”. Nas suas manifestações participaram os Poissons roses; Alliance vita; Plus gay sans mariage, de Xavier Bongibault; e líderes religiosos, cristãos, judeus e muçulmanos.

http://www.zenit.org/pt/articles/franca-de-novo-mais-de-um-milhao-de-pessoas-protestam-contra-o-matrimonio-gay

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.