Nova ministra das mulheres confessa que já abortou e treinou para fazer abortos

REDAÇÃO CENTRAL, (14/02/2012 – ACI) – Em uma denúncia
aparecida ontem, 13, no blog do jornalista católico Reinaldo de Azevedo
da Veja, o escritor cita uma entrevista da nova ministra da mulher,
Eleonora Minicucci, oferecida em 2004, na qual ela confessa já ter
abortado duas vezes e que viajou à Colômbia para aprender a fazer aborto
por sucção, o método conhecido como AMIU (Aspiração Manual
Intra-Uterina), mesmo não sendo médica.

Segundo Reinaldo de Azevedo, na entrevista de 14 de outubro de 2004, a
então apenas professora Eleonora Menicucci, (que tomou posse como
ministra das Mulheres na semana passada) afirmou ter participado do
Partido Comunista e “ter partido para a luta armada”.

Citando trechos da própria entrevista, a agora ministra Eleonora dizia à sua interlocutora:
“Eu tinha que fazer… a luta armada aqui. E um detalhe importante nessa
trajetória é que seis meses depois dessa minha filha ter nascido eu
fiquei grávida outra vez. Aí junto com a organização (do Partido
Operário Comunista) nós decidimos, a organização, nós, que eu deveria
fazer aborto porque não era possível… na situação ter mais de uma
criança, né? E eu não segurava também. Aí foi o Segundo aborto que eu
fiz”.

“Eu fiz aborto em outra clínica de Pinheiros, também de um médico
militar, vim a saber depois. Eu vou presa dia 11 de julho de 71”,
confessava também Menicucci quem afirmou que se descobriu feminista no
período em que esteve na prisão.

Porém uma das coisas mais graves que confessou a ministra nesta
entrevista é que participou de abortos e treinou-se para realizá-los,
mesmo sem nenhum treinamento médico, viajando pela sua ONG à Colômbia.

Na entrevista ela afirma:
“E aí fui coordenadora do grupo de Mulher e Política da ANPOCS, do GT.
Dois anos…dois mandatos seguidos, e voltei pra João Pessoa. Aí em São
Paulo eu integrei um grupo do Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde. Eu
a Maria José Oliveira, a Vera Soares, a Tereza Verardo a Margareth
Lopes, a Magali Marques, críamos o Coletivo Feminista Sexualidade e
Saúde, que é uma ONG, para atender as mulheres de forma diferenciada com
respeito a… E nesse período estive também pelo Coletivo fazendo um
treinamento de aborto na Colômbia”.

Reproduzimos abaixo a maneira funesta como a atual ministra contou à sua
interlocutora, Joana Maria, sobre seu treinamento fora do Brasil:

“Eleonora: Era em Clínicas em Aborto…a gente aprendia a fazer aborto…
Joana: Aprendia a fazer aborto.
Eleonora: Com aspiração AMIU
Joana: Com aquele…
Eleonora: Com a sucção.
Joana: Com a sucção. Imagino. Uhum.
Eleonora: Que eu chamo de AMIU . Porque a nossa perspectiva no Coletivo, a nossa base…
Joana: Que as pessoas se auto…auto…fizessem
Eleonora: Auto-capacitassem, e que pessoas não médicas podiam…
Joana: Claro.
Eleonora:…lidar com o aborto.
Joana: Claro.
Eleonora: Então vieram duas
feministas que eram clientes, usuárias do Coletivo, as quais fizeram o
primeiro auto-exame comigo. Então é uma coisa muito linda…”

Segundo Reinaldo de Azevedo no seu blog: “Eleonora confessa na
entrevista que não é apenas “abortista” – termo a que os ditos
progressistas reagem porque o consideram uma pecha, uma mácula. Ela
também é aborteira”.

Na sua análise Azevedo afirma que isto “deixa claro que o objetivo de
seu trabalho (como ministra) é fazer com que as pessoas se
“autocapacitem” para o aborto, de sorte que ele possa ser feito por
não-médicos. É o caso dela! Atenção! Dilma Rousseff nomeou para o
ministério das mulheres uma senhora que defende que o aborto seja uma
prática quase doméstica, sem o concurso dos médicos. Por isso ela
própria, uma leiga, foi fazer um “treinamento”.

“Não! Jamais apertaria a mão de torturadores. E jamais apertaria a mão
de dona Eleonora por isto aqui”, concluiu severamente o blogger católico
Reinaldo de Azevedo em seu post que pode ser visto na íntegra com mais
informação sobre a nova ministra em:

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/o-ministerio-dilma-nova-ministra-da-mulher-confessa-que-ja-treinou-abortos-por-succao-mesmo-nao-sendo-medica-mais-ela-se-considera-avo-de-um-neto-mas-tambem-do-aborto/

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.