Notícias Escola da Fé: 28/04/2011 (Parte 2)

China prende 36 fiéis de igrejas “subterrâneas”

Na terceira semana da caça aberta a igrejas cristãs clandestinas, autoridades chinesas invadiram ontem dezenas de casas e prenderam ao menos 36 pessoas em Pequim.
Os fiéis estavam prestes a celebrar a Páscoa em uma praça pública ao noroeste da capital chinesa.
Os detidos integram a Shouwang, uma das maiores “igrejas subterrâneas” de Pequim – nome dado às igrejas que se recusam a deixar o Partido Comunista controlar a sua crença, e, por isso, são consideradas ilegais e caçadas.
O governo alega que no país há liberdade de religião, garantida pela Constituição chinesa. Mas a lei só permite o credo em igrejas registradas oficialmente. As igrejas oficiais do país têm cerca de 20 milhões de fiéis, mas calcula-se que haja 50 milhões de fieis em “igrejas subterrâneas”.

Fonte:
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/ft2504201102.htm


Hungria promulga Constituição que protege a vida desde a concepção e reconhece raízes cristãs do país

Budapeste (Segunda-feira, 25-04-2011, Gaudium Press) Com a assinatura do presidente Pál Schmitt, a Hungria promulgou hoje uma nova Constituição Nacional. No novo texto da Carta Magna, que entra em vigor no dia 1º de janeiro do ano que vem, hpá proteção explícita e textual de valores caros para os católicos do país e do mundo inteiro.
O texto aprovado pelo Congresso no dia 17 de abril protege a vida desde o momento da concepção, impedindo qualquer possibilidade de legalização do aborto por procuração, por exemplo. Também estabelece que o matrimônio é a união entre um homem e uma mulher, blindando contra a eventualidade de reconhecimento de “matrimônios homossexuais”.

Em um sentido histórico, e em um acontecimento também histórico, o preâmbulo da Nova Constituição se orgulha e faz um reconhecimento de seu passado cristão, iniciado com Santo Estevão, rei da Hungria, há um milênio. “Nós, membros do parlamento eleito em 25 de abril de 2010, somos conscientes de nossa responsabilidade frente ao homem e frente a Deus. Estamos orgulhosos de que há um milênio nosso rei, Santo Estevão, nos fez formar parte da Cristandade europeia. Reconhecemos o papel que o cristianismo teve na preservação de nossa nação”, diz trecho do texto introdutório.

“Devíamos isso a uma cidadania que lutou durante os últimos 20 anos para ressurgir a democracia plena”, explicava Janos Lazarzha, porta-voz do partido Fidesz, impulsor da reforma, ao destacar a intenção dos parlamentares de romper com qualquer resquício do passado comunista.
Em um sentido de salvaguarda dos Direitos Humanos segundo a tradição ocidental recente, a nova Constituição proíbe a discriminação “por nascimento, raça, cor, sexo, incapacidade idioma, opiniões políticas ou de outro tipo, origem nacional ou social, religião ou propriedade de ativos”.

No entanto, nem tudo foram loas ao novo texto. A oposição – que se opôs durante a reta final do processo que desembocou na nova Carta – pediu que o texto seja submetido a plebiscito.Um aspecto considerado inédito e exclusivo pelos próprios dirigentes do partido é o conteúdo do artigo 21, que determina que uma maioria de dois terços do Parlamento poderá proporcionar poderes adicionais aos pais de famílias numerosas para votarem em nome dos filhos menores. O artigo é omisso quanto à situação de pais divorciados mas permite concluir, por exemplo, que a família do atual premiê, com quatro filhos ainda menores, poderá votar seis vezes.

O texto afirma que “não pode ser considerada uma infracção à lei da igualdade dos direitos de voto” a atribuição de votos adicionais aos pais em nome de filhos menores. Associações de cidadãos já criticaram o artigo por considerarem que viola a Declaração Fundamental dos Direitos do Homem. O partido de Orban dispõe da maioria de dois terços no Parlamento. A nova Constituição húngara é discriminatória para os homossexuais.
A Hungria, afirma, “protege a instituição do casamento entre o homem e a mulher, uma relação matrimonial voluntariamente estabelecida”. Interrogado sobre a eventualidade dos casamentos homossexuais, um porta-voz do Fidesz explicou que nada na legislação europeia impõe que esse tipo de união seja questão para uma Constituição do século XXI.
A interrupção voluntária da gravidez torna-se liminarmente anti-constitucional: “a vida de um feto deve ser protegida desde a concepção”, lê-se no documento.

De acordo com a nova Constituição, o Estado deve manifestar “sentido de responsabilidade” na defesa dos húngaros fora do país, designadamente apoiando “os seus esforços para preservarem a cultura húngara”. A Lei Fundamental da Hungria passa a exigir maiorias de dois terços no Parlamento para aprovar legislação europeia, designadamente eventuais alterações ao Tratado de Lisboa.

Perita em neurociências assegura que oração ajuda a desenvolver o cérebro
ROMA, 25 Abr. 11 (ACI) .- A neurorradiologista italiana Adriana Gini afirmou que a prece é benéfica para o desenvolvimento do cérebro, ao participar de um foro multimídia sobre os jovens e a comunicação na era digital celebrado em Roma.
Gini afirmou no dia 14 de abril no Ateneu Pontifício Regina Apostolorum, que “a prática do silêncio, a meditação e a oração favorecem as áreas cerebrais que se convertem mais pacientes e altruístas”.

O foro “Comunicação Juvenil na Era dos Meios de comunicação Sociais”, foi patrocinado pelo Conselho Pontifício da Cultura.
O evento foi uma resposta ao convite que o Papa Bento XVI fez em novembro de 2010 aos participantes da assembléia plenária do mesmo Conselho Pontifício para beneficiar-se “com renovado compromisso criativo, mas também com sentido crítico e cuidado discernimento das novas linguagens e das novas modalidades comunicativas”.

Gini assegurou que “nas crianças, um ambiente sereno e interativo, a presença de pais afetuosos, a amizade, e a vida ativa são elementos que permitem um correto desenvolvimento cerebral e portanto a aquisição de capacidade como o equilíbrio emotivo, a sociabilidade, e a generosidade”.

Documentário da National Geographic: Restos ósseos poderiam ser de santos mártires do século III

ROMA, 25 Abr. 11 (ACI) .- Os investigadores que participam de um novo documentário da National Geographic afirmam que os dois esqueletos que estudados neste filme poderiam pertencer a dois Santos mártires casados do século III em Roma.
“Toda a evidência que reunimos sobre estas relíquias nos mostram que seriam os restos de Crisanto e Daria”, assinala o líder da investigação da Universidade de Gênova, Ezio Fulcheri.
Fulcheri explicou ademais que “esta foi uma oportunidade que sucede com muito pouca freqüência, para estudar ossos e outras relíquias que se relacionam diretamente a uma história quando já passaram quase 2000 anos. Também é raro em mártires desse tempo ter esqueletos completos, o que implica que foram protegidas e veneradas por inteiro desde o começo”.
Estes restos, compostos de 150 ossos, foram encontrados em 2008 na cripta da Catedral da cidade italiana de Reggio Emilia, ao norte do país. As provas para averiguar sua “idade” indicam que estão entre os anos 80 e 340 DC.
Em declarações ao grupo ACI, o produtor geral do documentário “Explorador: Mistério dos Santos Assassinados”, estreado nos Estados Unidos no dia 19 de abril, assinalou que “esta é a primeira vez que podemos provar a autenticidade do que se crê que são relíquias de um santo. Para nós foi um privilégio fazer parte disto”.
Entretanto, acrescentou, “também é possível que estes ossos não sejam reais” devido a que na Idade Média se gerou um mercado negro de relíquias.
O Bispo Auxiliar de Reggio Emilia, Dom Lorenzo Ghizzoni, que também aparece no documentário, assume deste modo este risco e comenta que caso os restos sejam falsos, “serão destruídos porque isso seria certamente escandaloso para os fiéis”.

Crisanto e Daria
A tradição conta que Crisanto era o filho único de um senador romano de Alexandria. Cresceu em Roma e se converteu ao cristianismo. Seu pai desaprovou esta conversão e o obrigou a casar-se com uma sacerdotisa pagã de nome Daria para tentar fazê-lo desistir em seu novo caminho de fé.
Entretanto, Daria se converteu à fé de seu marido e se dedicaram juntos a converter outros milhares ao cristianismo.
As autoridades romanas os prenderam por proselitismo e os enterraram vivos em Roma perto do ano 283.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.