Nostradamus previu a 3ª Guerra Mundial? – EB

nostradamus_18thcenturyEm síntese: O historiador italiano Valerio Evangelisti, tendo estu­dado criteriosamente os escritos de Nostradamus, afirma que este não predisse a terceira guerra mundial. Muitas das “profecias” de Nostradamus terão sido redigidas por seguidores apócrifos e loucos.

Nostradamus está, mais uma vez, na ordem do dia. Geralmente, por ocasião dos grandes acidentes da história, aparece quem diga que Nostradamus os previu. O mito de Nostradamus é dissipado pelo historiador Valerio Evangelisti numa entrevista publicada pelo jornal O GLOBO. Caderno especial de 23/09/01, p.9. Os dizeres merecem atenção parti­cular pelo fato de não apelarem para a religião, mas basearem-se em séria  pesquisa histórica. – Vai, a seguir, reproduzido o trecho da entrevis­ta que interessa ao caso.

“Não usem Nostradamus”

Autor de trilogia sobre o alquimista francês diz que este nunca pre­viu a Terceira Guerra mundial

° Autor de “Magus”, trilogia sobre a vida de Nostradamus – o alquimista francês do século XVI cujo nome se torna sinônimo de terríveis profecias – o escritor italiano Valerio Evangelisti diz que muitas das previsões de seu biografado foram escritas por seguidores apócrifos e loucos. Em entrevista feita por telefone, Evangelisti (que no Brasil está sendo editado pela Bertrand Brasil) diz que este é o caso da Terceira Guerra Mundial. Nostradamus nunca a teria previsto.

O GLOBO: Valerio, estão falando muito em Nostradamus, porque ele teria mencionado uma Terceira Guerra Mundial, que começaria a par­tir de um conflito entre o Oriente e o Ocidente. Estaríamos assistindo à realização desta profecia?

VALERIO EVANGELISTI: Não existe nada sobre Terceira Guerra Mundial nos escritos de Nostradamus. Ele nunca citou uma Terceira Guer­ra Mundial. Para escrever sobre ele fiz muitas pesquisas, e nunca encontrei nenhuma citação sobre a Terceira Guerra Mundial. A maioria das predições de Nostradamus foi feita sobre fatos que ocorreriam no próprio tempo dele. Ele falou sobre o futuro distante, sim, sobre tempos que se­riam difíceis, mas de uma forma simbólica e poética, que deu margem a inúmeras interpretações. Ou seja, os textos de Nostradamus podem ser adaptados para o que se quiser, devido ao simbolismo.

° De onde viriam, então, essas afirmações sobre fim do mundo, a Terceira Guerra, torres gêmeas destruídas?

EVANGELISTI: São textos apócrifos, de pessoas que continuaram a escre­ver após a morte de Nostradamus, usando o nome dele. Essas pessoas, algumas delas provavelmente loucas, é que fizeram previsões terríveis so­bre o que aconteceria nos próximos séculos. Por causa dos meus livros sempre me procuram, quando ocorre alguma tragédia no mundo. Há a pre­visão de algo que viria do céu e por isso até mesmo quando caiu o Concorde me procuraram. E é claro que agora, com aviões atingindo as torres do World Trade Center, voltei a ser lembrado. Como já disse, a questão é que Nostra­damus escreveu de uma forma poética e tudo pode ser atribuído a ele. Os textos dele, sobretudo as “Centúrias”, dão margem a inúmeras interpretações. Na realidade, Nostradamus acreditava que haveria uma grande crise, em um dado momento da história da Humanidade, mas que o mundo ultrapassaria esta crise, sobrevivendo ainda por muitos e muitos séculos. Se for por Nos­tradamus, fique tranquila: a Terra ainda rodará no infinito séculos e séculos.

° Se não crê nas predições apocalípticas de Nostradamus e acha que foram feitas por outras pessoas, por que se interessou em escrever três livros sobre sua vida?

EVANGELISTI: Sou um historiador, um escritor. Escrevo narrativas fantásticas. Eu queria retratar a França de Caterina de Médicis. Poderia ter escolhido um outro personagem, um outro mago qualquer. Mas acho que Nostradamus é um bom personagem para retratar seu tempo. Teve uma vida cheia de peripécias. Quanto às “Centúrias”, Nostradamus, que era astrólogo, as fez baseado nos estudos dos astros e em livros esotéricos cheios de erros. E por isso não dá para levá-las a sério. O que importa é que foi um grande homem, um grande poeta.

Ele estaria sendo usado a toda hora, então, para explicar atos humanos insanos?

EVANGELISTI: Sim, e não deveriam usar Nostradamus para justificar a violência e o horror humanos. Não deveriam recorrer às suas profecias para explicar o que de ruim esta ocorrendo no mundo, até porque com ou sem Nostradamus já era possível prever que algo assim poderia aconte­cer. A violência, o terrorismo, as guerras, tudo isso já vimos assistindo há algum tempo. E tudo levava a crer que algo sério poderia acontecer nos EUA, até porque os EUA, eles mesmos, criaram situações que poderiam levar a ações extremistas, ao apoiarem as correntes mais radicais do governo de Israel. As que geram o confronto com os palestinos”.

Em PR 217/78, pp. 23ss; 269/83, pp. 325ss; 369/93, pp. 8lss foi amplamente abordado o tema Nostradamus, autor do qual foram transcritas Centúrias com as diferentes interpretações propostas pelos res­pectivos estudiosos.

Revista: “PERGUNTE E RESPONDEREMOS”
D. Estevão Bettencourt, osb
Nº 475- Ano 2001- p. 551

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.