Narcotráfico e a corrupção são os piores flagelos na Venezuela, Colômbia, Equador e o Peru

Bispos da
região pedem solidariedade e oração pelos que foram afetados pelas fortes
chuvas

CARACAS, 03
Dez. 10 / 03:10 pm (ACI).- Os presidentes dos Episcopados da Colômbia, Equador,
Peru e Venezuela, chamaram as autoridades a fortalecerem as relações entre
estes países e a combater o narcotráfico e a corrupção, que são “os piores
flagelos que sofrem nossos povos”.

Em um comunicado, os presidentes dos Episcopados do Equador, Dom Antonio
Arregui; da Colômbia, Dom Rubén Salazar; do Peru, Dom Miguel Cabrejos; e da
Venezuela, Dom Ubaldo Santana; expressaram também sua preocupação pela extensão
da violência e o desprezo à vida
humana.

Os bispos convidaram
os católicos a colaborarem na consecução da justiça, da liberdade, da
fraternidade e da paz entre os povos. O texto também exortou as autoridades a
seguir avançando na integração regional através do diálogo, da diplomacia e da
mútua cooperação, “superando os pragmatismos e os conflitos
ideológicos”.

Por sua parte, afirmaram, “renovamos nosso compromisso com a marcha atual
e futura de nossas nações na perspectiva de um desenvolvimento integral e de um
genuíno humanismo cristão”.

Depois de recordar as raízes cristãs de seus países, os bispos afirmaram que a
Missão Continental “abre um novo horizonte evangelizador para a Igreja” na América.

O comunicado informou que no encontro se delinearam “algumas orientações
comuns para a atenção pastoral” dos migrantes e refugiados, especialmente
nas zonas fronteiriças.

“Aproveitamos esta ocasião para fazer chegar uma mensagem de solidariedade
àqueles em amplas regiões de nosso continente se viram afetados pelas
persistentes chuvas das últimas semanas”.

“A Igreja, através de suas instituições caritativas, quer tornar efetiva
sua companhia e ajuda a todas as vítimas desta emergência. Elevamos nossa oração pelos que perderam a
vida e manifestamos nossa proximidade, com uma palavra de consolo e de
esperança, aos seus familiares e seres queridos”, acrescentam.

Do mesmo modo, os bispos destacaram a celebração dos Bicentenários da
Independência como “ocasião propícia para que a Igreja faça memória e
agradeça a Deus por sua contribuição fundamental à formação de nossos países e
por seu permanente serviço evangelizador, que foi e é fator decisivo na forja
de nossas culturas”.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.