Não se pode legalizar “o assassinato como medida de saúde pública” no Brasil, esclareceu Dom Beni

SÃO PAULO, 08 Out. 10 (ACI) .- Na última matéria da série “Vida: direito de todos” da TV Canção Nova, o especial trouxe uma entrevista com Dom Benedito Beni dos Santos, bispo da diocese de Lorena e Vice-presidente do CONSER-SUL 1, para falar da dignidade e do valor da vida humana. Nela, Dom Beni assinala que nenhuma pessoa, instituição ou legislação, têm o direito sobre a vida de um ser, sobretudo aquele que ainda não nasceu. “Legalizar o aborto é legalizar o crime”, destacou o prelado.

“Toda vida tem um valor em si mesmo”, é um dom sagrado, afirmou Dom Beni, quem acrescentou que
“destruir uma vida inocente que está ainda no sei da própria mãe este é o maior dos crimes”.
Por isso o prelado assinala que legalizar o aborto é legalizar um crime.
“Só Deus é o Senhor da vida. Não existe nada que justifique a prática do aborto, porque o aborto é a destruição de uma vida inocente.”, explica o bispo de Lorena.

Dom Beni disse que “legalizar o aborto é legalizar o crime”. E desmentiu o argumento de que o aborto deveria ser legalizado no Brasil e estar disponível para as mulheres pobres porque estas morrem ao realizá-lo clandestinamente , ao contrário das mulheres ricas, que abortam com em clínicas privadas.
“Ora, não é com o mal que nós vamos sanar o outro mal”, esclareceu o bispo.
Então o governo tem que criar possibilidades para aquelas mulheres que concebem e que por um motivo ou outro que existe, não quer o filho, então que o filho nasça!”. Há instituições, especialmente dentro da Igreja que acolherão estas crianças, “de braços abertos”, disse Dom Benedito. 
Não se pode legalizar “o assassinato como medida de saúde pública”, enfatizou.
“Legalizar o aborto como uma questão de saúde publica é uma contradição” declarou o prelado.

“Nós temos direito ao corpo no sentido de cuidar dele, mas ninguém tem o direito de destruí-lo. Por outro lado, nós sabemos que a criança em gestação não é parte do corpo da mulher, é uma nova vida que surge em seu seio e, portanto, um novo ser de direitos que a própria mãe precisa respeitar. De modo algum a criança é um membro do corpo da mãe”, explica dom Beni.

Veja no vídeo abaixo a entrevista na íntegra com dom Beni:
http://blog.cancaonova.com/redacao/2010/10/08/vida-direito-de-todos-so-deus-e-o-senhor-da-vida/

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.