Não encontro bons candidatos. Quero votar nulo. Qual é o problema?

 “O cristão vota com seriedade, responsabilidade, não anula seu voto, e ensina o mesmo a quem for possível.”

Acredito que assim como eu, você também tem escutado isso de várias pessoas, certo?

A pior atitude que podemos tomar diante de uma situação difícil é fazer como o avestruz que, diante do perigo enfia a cabeça na areia para fugir do perigo, deixando, no entanto, todo o corpo de fora.

Algo semelhante acontece com as pessoas que julgam que diante do difícil quadro e sistema político do nosso país, especialmente por falta de bons políticos, a melhor solução seja o voto nulo ou em branco. É um grande engano e um verdadeiro perigo para a nação, pois facilita a eleição dos maus políticos. É verdade que faltam bons candidatos para a eleição em algumas funções públicas, faltam de fato verdadeiros líderes cristãos que trabalhem pelo “bem comum”, e que façam da política um verdadeiro sacerdócio em favor do povo, mas, jogar fora o voto é a pior opção e uma verdadeira traição a si mesmo e à nação.

Hoje com a internet, ficou mais fácil saber quem é político e quem é politiqueiro; que quer trabalhar para o povo e quem quer trabalhar para si mesmo. Então, urge que os cristãos informem seus irmãos e suas comunidades sobre quem não merece o voto de um cristão.

Precisa ficar claro que a política é boa, o que não presta é a politicagem; o político é bom, o que não presta é o politiqueiro.

Outro grande problema do nosso país hoje é que grande parte da população é alienada da vida pública, não lê um jornal, uma boa revista, etc., se limita a ver noticiário de televisão, ou ainda, se deixa muitas vezes enganar por um favor que recebe.

O voto é sagrado; é a arma da democracia; mas se ele não for dado com conhecimento de causa, com honestidade, sem se vender; a democracia fica doente, e pode se tornar ditadura disfarçada.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.