Na primeira audiência geral do ano, Bento XVI fala sobre acontecimentos que fizeram parte da história de Jesus Cristo

Cidade do
Vaticano (Quarta-feira, 05-01-2011, Gaudium
Press
) Na primeira audiência geral do ano, realizada esta manhã, véspera da
solenidade da Epifania, o Papa Bento XVI recordou que o Natal não é um evento
do passado, mas que de fato se desenrola ante nossos olhos. “O Natal ainda
hoje pode nos fascinar já que responde às aspirações e esperanças mais
profundas do homem as quais nunca poderá dar resposta o consumismo”, disse
o Santo Padre diante de aproximadamente sete mil reunidas na Sala Paulo VI, no
Vaticano.

Conforme o
Santo Padre, o consumismo pode desviar a atenção dos homens do verdadeiro
sentido do Natal, mas não pode deter o desejo de Deus do coração humano. O
pontífice acrescentou ainda que as celebrações de Natal não são um convite de
caráter moralizante e sentimental para que as pessoas se convertam em humildes
e pobres, “mas sim, sobretudo, um convite para nos deixarmos transformar
por completos por Aquele que veio em nossa carne”, afirmou Bento XVI.

Bento XVI
destacou que a Epifania, o Batismo de Jesus, as bodas de Canaã e a Apresentação
no Templo não são uma simples recordação de acontecimentos passados. Para o
pontífice, a liturgia faz presentes aqueles mistérios portadores de salvação e
assim eles se convertem não apenas em uma memória, mas, sobretudo, em mistério
e presença. A liturgia nos lembra que com o nascimento de Jesus Cristo, Deus
verdadeiramente entrou no mundo. “Cada celebração é a presença atual do
mistério de Cristo e nela se prolonga a história da salvação”, disse.

O Papa
salientou que na Encarnação, Deus se transforma radicalmente e se converte no
instrumento de salvação. “Pelo que o Natal já e as primícias, o começo do
“sacramentum-mysterium pascual”, que culmina na paixão, morte e
ressurreição”. Conforme o pontífice, a noite de Natal, dessa forma, está
profundamente relacionada à grande vigília noturna da Páscoa, “quando a
redenção se realiza no sacrifício glorioso do Senhor morto e
ressuscitado”, afirmou.

 Fonte: GaudiumPress

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.