Mundo do teatro homenageia Wojtyla

Meditando sobre a “Paixão e morte de Karol”

ROMA, segunda-feira, 2 de maio de 2011 (ZENIT.org) – “Paixão e morte de Karol”: com este evento, o teatro quis prestar homenagem ao Papa João Paulo II, através de uma meditação que teve lugar em Roma na sexta-feira passada.

Tendo como cenário o Palácio da Chancelaria, 28 atores, com a ajuda de grandes vozes da prosa, evocaram a atmosfera daquelas horas.

Os textos da meditação eram citações selecionadas do livro “Papa Wojtyla, o adeus”, escrito pelo jornalista Marco Politi. Dos 22 capítulos do livro, foram escolhidos os mais importantes, divididos em XIV “estações” para contar as últimas semanas do Papa polonês.

No salão do século XVI, mais de 700 pessoas se emocionaram ao ouvir a leitura das citações relacionadas às diversas fases da doença do Santo Padre, enquanto algumas fotografias eram projetadas sobre este período histórico: as internações médicas, o Papa olhando pela janela do hospital, o público saudando-o no trajeto que vai do Vaticano à clínica Gemelli, a mídia em torno do hospital em uma espécie de assédio, o cardeal Leonardo Sandri lendo a mensagem do Papa, suas palavras contra a guerra no Iraque.

O encontro foi organizado por ‘Elea’, o instituto de formação dos Padres Concepcionistas, com o apoio do IDI.

A parte visual foi adaptada pelo diretor Riccardo Leonelli e pelo organizador de eventos de ‘Elea’, Pietro Schiavazzi, que apresentou o evento.

A meditação recordou o sentimento coletivo que invadiu milhões de homens e mulheres, entre fevereiro e abril de 2005, quando o Papa que veio de longe conseguiu falar com aqueles que não praticam, aqueles que pensam diferente, aqueles que seguem outras confissões e aqueles que o haviam criticado.

Entre uma estação e outra, um quarteto liderado por Stelvio Cipriani interpretou passagens da Missa  solene composta por ele e dedicada a João Paulo II.

Intervieram, entre outros: Serena Autieri, Giulio Base, Massimo Dapporto, Monica Guerritore, Francesco Salvi, Sebastiano Somma, Euridice Axe’n, Vincenzo Bocciarelli, Danilo Brugia, Valeria Cavalli, Rodolfo Corsato, Lorenzo Flaherty, Khaled Fouad Allam, Giuliano Gemma, Andrea Giordana, Eleonora Ivone, Lucrezia Lante della Rovere, Riccardo Leonelli, Eleonora Mazzoni, Olek Mincer, Francesco Montanari, Giuseppe Pambieri, Francesco Pannofino, Nicoletta Romanoff, Edoardo Siravo, Lia Tanzi, Massimo Wertmuller, Giuseppe Zeno.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.