Muçulmanos reconhecem João Paulo II como o personagem mais importante do século XX

ROMA, 29 Abr. 11 / 11:39 am (ACI) Após reconhecer que João Paulo II foi o personagem mais importante do século XX, os muçulmanos da Bósnia construirão um monumento em homenagem a ele no centro de Sarajevo.

O diretor da comunidade islâmica Bósnia, Mustafá Ceric, recordou que na Bósnia viveu-se uma brutal guerra entre os anos 1992 e 1995 e assinalou que no meio do medo e da dor, a população esperava “todos os domingos para ouvir suas mensagens de esperança já que o Papa jamais deixou de fazer uma chamada pelo fim de suas penúrias”.

“No século XXI carecemos de uma personalidade como a que tinha João Paulo II”, disse Ceric.

 Além disso, informa a agência Associated Press, Ceric recordou que o Papa quis visitar Sarajevo em setembro de 1994 no pior momento da guerra, mas a viagem foi cancelada depois que os sérvios advertiram que não podiam garantir sua segurança.

O Santo Padre visitou Sarajevo um ano depois do final da guerra e dezenas de milhares de pessoas se reuniram nas ruas para lhe dar as boas-vindas.

Em frente à Catedral de Sarajevo, onde João Paulo II tocou as mãos de muita gente e deu a bênção numerosas pessoas entre elas muçulmanos, será levantada a estátua em sua homenagem.

 

 

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.