Miss América 2003 censurada – EB

Em síntese: A Srta. Erika Harold, eleita Miss América 2003, foi censurada por ter apregoado a abstinência sexual dos adolescentes. Os funcionários do concurso de beleza insinuaram-lhe que, em suas entrevistas de Miss América, só protestasse contra a violência juvenil, deixando de lado assuntos relacionados com a castidade. A jovem lhes respondeu sempre que não mudará seu comportamento, mesmo que pressionada por seus admiradores.

Via internet, PR recebeu do Dr. Humberto Vieira, Presidente da PROVIDAFAMÍLIA de Brasília a notícia, a seguir, transcrita. É surpreendente a coragem de uma jovem de 22 anos de idade, que a glória e o triunfo poderiam facilmente obcecar.

Censura a miss América

Washington DC, 10 Oct. 02 (ACI) – Erika Harold, há algumas semanas coroada como Miss América 2003, denunciou que foi censurada pelos organizadores do Concurso, que lhe prescreveram não falasse publicamente em favor da abstinência sexual.

Erika Harold, de 22 anos de idade, é natural de Urbana, Illinois. Há muito vem-se dedicando a promover a abstinência sexual entre as adolescente do seu Estado e diz não estar disposta a ceder às pressões só pelo fato de ter ganho a coroa de Miss.

“Francamente, ainda que não sejam sempre explícitas, há pressões de certas partes para que eu não promova a abstinência”, declarou ela ao diário The Washington Times.

Em sua primeira visita a Washington após vencer o Concurso em 21 de setembro, Erika afirmou que resistirá aos esforços dos funcionários do certame para que não manifeste sua opinião em favor da castidade.

“Não me intimidarei”, declarou Erika (que passou para a Universidade de Harvard a fim de estudar Direito), quando chegou à sede do International Pres Club para uma entrevista coletiva à imprensa.

Uma fonte de informações registrou que Erika estava muito aflita porque o Sr. George Bauer, Diretor Executivo interino do Concurso, juntamente com outros funcionários, lhe tinham explicitamente prescrito que se limitasse a falar da prevenção à violência juvenil, com a  qual já se tinha ocupado em declarações anteriores.

Segundo a mesma fonte, os funcionários não querem que  Erika aproveite da sua posição para promover a castidade entre as adolescentes, embora seja esta uma causa que Erika abraçou há vários  anos como conferencista do Project Reality, organização de Chicago pioneira na difusão da tese da abstinência nas escolas.

Desde que ganhou o título de Miss Illinois em junho 2002, Erika pronunciou palestras em favor da abstinência sexual para cerca de 14.000 jovens.

Erika não respondeu às interrogações da imprensa relativas a essa censura. O que mais chama a atenção, é a incoerência dos funcionários no tocante à temática sexual, opunham-se ao anúncio da castidade, mas durante muito tempo proibiram às jovens escolhidas como Miss América. Como aliás a todas as concorrentes em geral, que ficassem a sós com um homem, fosse pai, fosse irmão, fosse um estranho.

A partir de 1990 tem-se exigido das concorrentes ao título “Miss América” que adotem um tema oficial de promoção. Erika Harold ganhou o concurso “Miss Illinois” com a plataforma: “Abstinência Sexual na Adolescência. Respeita-te a ti mesmo. Protege-te a ti mesmo”. Não obstante, os funcionários do certame substituíra abstinência por prevenção á violência juvenil, alegando que isto seria mais pertinente, como confessou o pai de Erika a um jornal de Illinois.

Após ganhar a coroa, Erika relatou que recebeu mensagem eletrônica de uma estudante de Chicago, pedindo-lhe que continue a campanha em prol da abstinência. “Ela me disse que havia mudado seu comportamento por efeito do que eu lhe disse e que tomara a decisão de viver a abstinência por causa do que ouvira de mim. Ela faz votos para que, na qualidade de Miss América, eu continue a disseminar a proposta, … que deverá mudar a vida de outras pessoas”, referiu Erika…

Miss América afirmou que a educação para a abstinência é um componente importante da prevenção à violência juvenil, pois a violência está diretamente relacionada com o permissivismo sexual e a promiscuidade.

Erika Harold confessou que na adolescência foi vítima de abuso sexual: “Muitas vítimas de tais abusos acabam acreditando no que se lhe diz e se tornam promíscuas, caindo na autodestruição. Quanto a mim, adotei a atitude oposta… Eu me senti muito feliz por ter genitores e uma comunidade de fé que me apoiavam. Estou muito contente por ter podido compartilhar este propósito com milhares de jovens”.

Revista: “PERGUNTE E RESPONDEREMOS”
D. Estevão Bettencourt, osb
Nº  487 – Ano 2003 – p. 43

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.