Meditação: 1º dia da Semana pela Unidade dos Cristãos

A Igreja de
Jerusalém

CIDADE DO
VATICANO, segunda-feira, 17 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) – Apresentamos o comentário aos textos bíblicos
e de oração escolhidos para o primeiro dia da Semana de Oração pela Unidade dos
Cristãos, 18 de janeiro.

Este texto
faz parte dos materiais distribuídos pela Comissão Fé e Constituição, do
Conselho Ecumênico das Igrejas e pelo Conselho Pontifício para a Promoção da
Unidade dos Cristãos. A base do texto foi redigida por uma equipe de
representantes ecumênicos de Jerusalém.

* * *

Dia 1: A
Igreja em Jerusalém

Joel 2,
21-22.28-29: Derramarei meu Espírito sobre toda a carne.

Salmo 46:
Deus está no meio da cidade

Atos 2, 1-12:
Quando chegou a dia de Pentecostes

João 14,
15-21: É ele o Espírito da verdade

Comentário

A caminhada
desta Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos começa em Jerusalém no dia de
Pentecostes, no início da própria caminhada da Igreja.

O tema
desta Semana diz: “eles eram assíduos ao ensinamento dos apóstolos, à comunhão
fraterna, à fração do pão e às orações”. “Eles” são a primitiva Igreja de
Jerusalém, nascida no dia de Pentecostes quando o Defensor (Paráclito), o
Espírito de verdade, desceu sobre os primeiros fiéis, como tinha sido prometido
por Deus através do profeta Joel, e pelo Senhor Jesus na noite anterior ao seu
sofrimento e sua morte. Todos os que vivem em continuidade com o dia de
Pentecostes vivem em continuidade com a primitiva Igreja de Jerusalém, com seu
líder São Tiago. Essa Igreja é a Igreja mãe de todos nós. Ela nos proporciona a
imagem ou ícone da unidade cristã pela qual oramos nesta Semana.

De acordo
com uma antiga tradição oriental, a sucessão na Igreja vem através da
continuidade em relação à primeira comunidade de Jerusalém. A Igreja de
Jerusalém nos tempos apostólicos é ligada à Igreja celeste de Jerusalém, que
por sua vez se torna o ícone de todas as Igrejas cristãs. O sinal de
continuidade com a Igreja de Jerusalém para todas as Igrejas é a manutenção das
“marcas” da primeira comunidade cristã através do nosso empenho em estar
“assíduos aos ensinamentos e à comunhão fraterna, à fração do pão e às
orações”.

A atual
Igreja de Jerusalém vive em continuidade com a Igreja apostólica de Jerusalém,
particularmente por seu penoso testemunho da verdade. Seu testemunho do
Evangelho e sua luta contra a desigualdade e a injustiça nos lembram que a
oração pela unidade dos cristãos é inseparável da oração pela paz e pela
justiça.

Oração

Todo poderoso
e Misericordioso Deus, com grande poder reuniste os primeiros cristãos na
cidade de Jerusalém, pelo dom do Espírito Santo, desafiando o poder terreno do
Império Romano. Concede-nos que, como essa primeira Igreja de Jerusalém,
possamos nos unir corajosamente na pregação e na vivência das boas novas da
reconciliação e da paz, onde houver desigualdade e injustiça. Oramos em nome de
Jesus, que nos liberta da servidão do pecado e da morte. Amém.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.