Mãe brasileira preferiu adiar tratamento contra câncer e salvar seu bebê do aborto


No dia 10 de julho de 2012 o site ACI/EWTN Noticias relatou o caso de Simone Calixto uma mãe brasileira, médica,  de 39 anos, que residia no Canadá, e que fez a opção de não abortar o seu bebê devido ao diagnóstico de câncer de mama que recebeu praticamente ao mesmo tempo em que a notícia de ser mãe.
No Canadá os médicos queriam que Simone abortasse pois afirmavam que sua gestação “alimentava” o crescimento de seu tumor devido aos hormônios, e que além disso, haveria poucas chances do bebê sobrevier, sendo assim o mais seguro seria interromper a gravidez para fazer o tratamento correto.
Em sua cidade, Ontário, os médicos disseram que sem este passo (o aborto) não poderiam oferecer-lhe o tratamento. Simone lamentou em sua entrevista ao “Estadão”: “Se naquele centro de referência eles tinham essa conduta, percebi que em nenhum outro hospital seria diferente”.

Diante da situação, esta mãe brasileira decidiu usar o sonar, um aparelho que permite escutar os batimentos do coração do bebê no útero. E desabafou: “Coloquei o sonar na barriga e em dez segundos comecei a ouvir o coraçãozinho. Senti que ele estava bem vivo”, afirmou.

Além disso, Simone recordou ter visto um programa de televisão brasileiro, no qual apresentaram um caso similar ao seu no qual o bebê nasceu são. Logo contatou o doutor Waldemir Rezende o especialista citado na notícia e viajou ao Brasil.

Aqui Simone chegou às 36 semanas de gravidez e deu à luz através de uma cesárea. O súbito crescimento do tumor em seu peito, apesar da quimioterapia realizada, a obrigou a adiantar o parto.

A pequena Melissa nasceu sã, com apenas uma leve dificuldade respiratória. Posteriormente extirparam o tumor no seio de Simone.

Simone agora deve enfrentar uma bateria de exames que não puderam ser feitos durante a gravidez, como tomografias e mais sessões de químio.

“O mais difícil já passou. A Melissa é um milagre, uma promessa que se cumpriu”, afirmou Simone em sua entrevista.

Leia a notícia na íntegra: Mãe brasileira adia tratamento de câncer e salva seu bebê do aborto

Fonte: ACIDIGITAL

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.