“Luz do Mundo”: Não fica nem aprovado nem aconselhado o uso do preservativo, afirmou o Cardeal Scherer

SÃO PAULO, 25 Nov. 10 / 05:17 pm (ACI).-
Ontem, 24,pela manhã, o cardeal arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro
Scherer, afirmou em entrevista coletiva concedida na Cúria Metropolitana que
“não houve mudança da posição do Papa ou da Igreja em relação à
questão do uso do preservativo“. 
Dom Odilo ressaltou que o Papa não disse nada de novo, mas apenas retomou
aquilo que por vezes estava esquecido em relação ao uso do preservativo. “O
problema não é usar ou não o preservativo, mas a questão verdadeiramente é a
humanização da sexualidade e a atitude correta em relação à sexualidade”,
afirmou o cardeal.
Em nota publicada na página oficial da Arquidiocese da capital paulista, o
purpurado explicou que quando o Papa se refere ao caso de pessoas prostituídas
usarem o preservativo para evitar que outras pessoas possam ser contaminadas
pelo vírus que elas têm, significa que essas pessoas estão dando “um
primeiro passo de responsabilidade moral em relação a outras”.
“Mas com isso, não fica nem aprovado, nem aconselhado o uso do
preservativo”, pontuou.

O cardeal mostrou o livro aos jornalistas e leu o trecho em que o entrevistador
faz uma questão ao pontífice referente à sua visita à África, em 2009, em que
ele afirmou que, nesse continente, a doutrina tradicional da Igreja se revelou
o único modo seguro para frear a difusão do vírus HIV. Ao responder, Bento XVI ressaltou
que, do ponto de vista jornalístico, a visita “ficou obscurecida” por causa de
uma única afirmação. Ele também destacou que “a Igreja é a única instituição
que atua concretamente, na prevenção, na ajuda, no aconselhamento e no fato de
estar ao lado das pessoas doentes”.

No livro, o Papa também destacou que, no âmbito secular, se desenvolveu a
chamada “teoria ABC” (traduzindo: abstinência, fidelidade e preservativo), em
que o profilático (meio de impedir o contágio) é considerado somente como uma
alternativa, quando faltam os outros dois elementos. Sobre isso, Dom Odilo
explicou que quando o Papa cita a “teoria ABC”, não a assume como parte da
moral católica, “mas chama a atenção para o fato de que até no mundo laico já
não se fala simplesmente do uso do preservativo”.
 
O cardeal Scherer também destacou que, desde o surgimento da epidemia de AIDS, a Igreja sempre se
manifestou e, sobretudo, pela sua ação concreta. “A Igreja Católica convida
a todos para um comportamento sexual responsável e para a humanização da
sexualidade. Se colocarmos muito destaque no preservativo, esquecemos o que é
muito mais grave”, completou.

 

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.