Livro “Luz do mundo” em cápsulas

A voz
sincera de um papa frente a um mundo em transformação

CIDADE DO
VATICANO, terça-feira, 23 de novembro de 2010 (ZENIT.org) – O livro-entrevista “Luz do mundo”,
apresentado hoje no Vaticano, recolhe respostas francas de Bento XVI ao
jornalista Peter Seewald sobre o Papa, a Igreja e os sinais dos tempos.

Apresentamos
algumas das frases mais destacadas do livro.

Surpresa
diante da sua eleição

“O
fato de ver-me de repente diante dessa tarefa tão grande foi, como todos sabem,
um choque para mim. A responsabilidade é realmente gigantesca.”

Renúncia ao
papado

“Se o
papa chega a reconhecer com clareza que física, psíquica e mentalmente já não
pode continuar seu ofício, tem o direito e, em certas circunstâncias, também o
dever de renunciar.”

Crise dos
abusos

“Tudo
isso foi para nós um choque e eu continuo me comovendo hoje assim como ontem,
até no mais profundo.”

Soluções
para os abusos

“O
importante é, em primeiro lugar, cuidar das vítimas e fazer todo o possível
para ajudá-las e para estar ao seu lado com a vontade de contribuir para sua
cura; em segundo lugar, evitar o máximo possível estes atos, por meio de uma
seleção correta dos candidatos ao sacerdócio; e, em terceiro lugar, que os
autores dos atos sejam castigados e excluídos de toda possibilidade de
reincidir.”

Enfrentar
os abusos

“O que
nunca deve acontecer é tentar escapar e pretender fingir não ter visto,
deixando, assim, que os autores dos crimes continuem cometendo suas ações.
Portanto, é necessária a vigilância da Igreja, o castigo para quem faltou e
sobretudo a exclusão de todo acesso posterior às crianças.”

Situação
atual da Igreja

“A
Igreja vive. Contemplada somente a partir da Europa, parece que se encontra em decadência. Mas
esta é só uma parte do conjunto. Em outros continentes, ela cresce e vive, está
repleta de dinamismo (…). Se a Igreja deixasse de estar presente,
significaria um colapso de espaços vitais inteiros.”

Relativismo

“Ninguém
discutirá sobre o fato de que é preciso ser cuidadoso e cauteloso ao
reivindicar a verdade. Mas descartá-la, sem mais nem menos, como inalcançável,
exerce diretamente uma ação destrutiva.”

Ecumenismo

“O
mundo precisa de um potencial de testemunho a favor do Deus uno que nos fala em
Cristo.”

Diálogo
inter-religioso

“Temos
uma mensagem ética que dá orientação aos homens. E transmitir essa mensagem
juntos é de suma importância na crise dos povos.”

Islã

“Eu o
reconheço como uma grande realidade religiosa com a qual devemos estar em
diálogo.”

Sexualidade

“O
importante é que o homem é alma em corpo, que ele é ele mesmo enquanto corpo e
que, por isso, é possível conceber o corpo de forma positiva e a sexualidade
como um dom positivo. Através dela, o homem participa da condição criadora de
Deus. Encontrar esta concepção positiva e cuidar desse tesouro que nos foi dado
é uma grande tarefa.”

Preservativos

“É
óbvio que ela [a Igreja] não os vê como uma solução real e moral. Não obstante,
em um ou outro caso, podem ser, na intenção de reduzir o perigo de contágio, um
primeiro passo no caminho rumo a uma sexualidade vivida de forma diferente,
rumo a uma sexualidade mais humana.”

Pio XII

“Foi
um dos grandes justos, que salvou muitos judeus, a tantos como nenhum
outro.”

Indissolubilidade
do matrimônio

“Nós
não podemos manipular essa palavra. Devemos deixá-la assim, ainda quando
contradiga as formas de vida hoje dominantes.”

Eucaristia

“Se é
verdade – como acreditamos – que na Eucaristia Cristo está realmente presente,
este é o acontecimento central, nem mais nem menos.”

Celibato

“É
sempre, por assim dizer, um ataque ao que o homem pensa normalmente, algo que
só é realizável e crível se Deus existe.”

Homossexualidade

“Se
alguém tem inclinações homossexuais profundamente arraigadas – não se sabe até
agora se são realmente inatas ou se surgem na primeira infância – e, em
qualquer caso, se elas têm poder nessa pessoa, tais inclinações são para ela
uma grande provação.”

Ecologia

“Que o
homem está ameaçado, que ameaça a si mesmo e ameaça o mundo, torna-se visível
hoje por meio das provas científicas. Só poderá ser salvo se no seu coração
crescerem as forças morais, forças que só podem vir do encontro com Deus.”

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.