Liberdade para ser mãe na Espanha não está garantida pelo aborto legalizado

MADRI, 29 Mar. 12 / 11:14 pm (ACI/Europa Press) O ministro da Justiça da Espanha, Alberto Ruiz Gallardón, advertiu no Plenário do Senado que a liberdade para ser mãe não está suficientemente garantida na Espanha e assegurou que “enquanto exista um só caso”, o Governo vai “atuar”.

Em resposta ao senador do PSOE Roberto Lertxundi (do anterior líder do governo espanhol José Zapatero) sobre se o governo deve considerar se as mulheres hoje na Espanha são ou não são livres o suficiente para decidir sobre sua maternidade, o ministro da Justiça insistiu em que existem casos nos quais a mulher se vê condicionada por motivos econômicos, familiares e sociais a abortar.

“Falo de uma liberdade que consiste em que quando uma mulher se enfrenta ao gravíssimo conflito de decidir se interromper ou não a sua gravidez, tenha uma resposta por parte dos poderes públicos, que vá além de dizer-lhe: ‘(o aborto) está despenalizado, me esqueço do seu problema'”, afirmou.

O ministro reiterou sua tese sobre a existência de uma violência estrutural de gênero que obriga às mulheres a abortar e reprovou o senador socialista acho que seu grupo tem o “monopólio” desta expressão. “Por que vocês acham que têm o monopólio da defesa das liberdades e dos direitos das mulheres?”, perguntou-lhe.

“Enquanto exista na Espanha a mais mínima possibilidade de que uma mulher não possa exercer em plenitude seu direito à maternidade, deste grupo parlamentar e deste Governo terá sempre a solidariedade e não a atitude de silêncio cúmplice culpável do partido socialista”, afirmou.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.