Justiça define que o nome de Deus não deve ser retirado das cédulas

O Site de Notícias ACIDIGITAL (05 de dezembro de 2012), informou que no dia 29 de novembro, a 7ª Vara de Justiça negou o pedido feito pelo Ministério Público Federal de São Paulo para que a União e o Banco Central retirassem a frase “Deus seja Louvado” das cédulas de real.

Para a justiça, a frase mencionar o nome de Deus não instiga as pessoas a adotarem uma crença religiosa: “a menção a expressão Deus nas cédulas monetárias não parece ser um direcionamento estatal na vida do indivíduo que o obrigue a adotar ou não determinada crença”, afirmou a juíza federal Diane Brunstein.

Segundo o Banco Central, esta frase religiosa se apoia na Constituição de 1988, cuja abertura indica que foi promulgada “sob o amparo de Deus”. No entanto, por determinação do presidente da época José Sarney, o lema já tinha sido impresso há 2 anos atrás, em 1986.

Veja a explicação do Prof. Felipe Aquino sobre este assunto:

Fonte: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=24565

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.