Judeus por Jesus – EB

Em síntese: Têm-se propagado impressos do Movimento “Judeus por Jesus”. São cristãos sem perder sua identidade judaica, visto que crer no Messias é uma das notas mais características da religião judaica. Todavia o Credo desses irmãos carece de referência à tradição cristã, à Igreja e aos sacramentos. É de crer que tais irmãos ainda se abrirão mais para as grandes verdades da fé.

Os “Judeus por Jesus” constituem um Movimento cada vez mais intenso, presente em várias partes do mundo por suas comunidades, por sua atividade missionária e seus impressos, que apregoam Jesus Cristo como o Messias e Salvador de todos. No Brasil têm espalhado folhetos por ruas e casas do Rio de Janeiro, despertando a curiosidade do público. Passamos, pois, a ver quem são e o que professam, valendo-nos de textos colhidos na internet.

1. Quem são eles?

“Sempre houve em toda a história judeus que creram em Jesus”. Todavia nos últimos decênios este fato tomou vulto mais intenso. Com efeito, em setembro de 1973 o Sr. Moshe Rosen deu o início ao Movimento de “Judeus por Jesus” destinado a proclamar no mundo inteiro a messianidade de Jesus, pregando o Evangelho. Tais judeus convertidos ao Cristianismo que julgavam estar renegando sua origem judaica, mas, ao contrário, queriam reafirmá-la, pois o judaísmo é essencialmente a expectativa do Messias prometido aos Patriarcas. Lê-se num panfleto distribuído ao público:

“A única coisa que eu e todos os meus amigos judeus podíamos dizer com certeza, era que Jesus não era algo judaico:

Jesus # Judeus

Mas… Descobri que há mais do que “menos Jesus” que faz de um judeu um judeu. Foi o dia em que descobri que crer em Jesus era de fato algo judaico!… Jesus é o que faz alguns de nós querer ser mais judeus (já pensou no que mais judeu pode significar?).

Cremos mais do que nunca no Deus de Abraão, Isaac e Jacó”.

Aderindo a Jesus, tais irmãos não aderem necessariamente à Igreja fundada por Jesus, mas a denominações evangélicas (no sentido amplo?), como se depreende dos dizeres seguintes:

“Como judeus, queremos preservar nossa herança cultural e étnica… Os que conhecem nosso ministério sabem que não estamos separados da linha dominante do Cristianismo. Cada pessoa do nosso grupo é membro de uma Igreja evangélica, e juntos representamos muitas denominações diferentes. Não somos inovadores do ponto de vista teológico, mas representamos a linha central do pensamento evangélico e proclamamos o Evangelho histórico aceito por todos os verdadeiros cristãos”.

“Há muita confusão sobre quem somos ou o que somos… Alguns afirmam que somos uma seita ou uma religião exótica; procuram colocar uma barreira entre nós e o resto do corpo de Cristo”. (Quem somos nós, via internet).

Mais claramente está dito na notícia sobre “O que fazemos”:

“Somos evangélicos e nos consideramos um braço da igreja local. Além disso, não consideramos que o nosso trabalho de discipulado com uma pessoa esteja completo até que o povo crente em Jesus tenha um lugar ativo em uma congregação local neotestamentária”.

Estas declarações sugerem a pergunta: por que a adesão ao Cristianismo protestante e não ao católico? Seria por que é mais fácil ser protestante do que ser católico?

Vejamos agora o Credo de tais irmãos.

2. A Profissão de Fé

“Nossa declaração de fé, que todos os nossos obreiros e membros do diretório devem professar, é a seguinte:

Cremos que as Escrituras do Antigo e do Novo Testamento são divinamente inspiradas, de forma verbal e completa, sem erro em seus escritos originais, sendo dotadas de autoridade suprema e definitiva em todos os assuntos ligados à fé e à vida.

Reconhecemos o valor da literatura judaica tradicional, mas somente na medida em que ela se apoia ou está conforme com a Palavra de Deus. Não a reconhecemos, porém, com regra obrigatória de vida e de fé.

Cremos em um Deus único e soberano, que existe em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. Cremos que Ele é perfeito em santidade, infinito em sabedoria, que seu poder não tem limite, e que seu amor é incomensurável; que Deus é a fonte de toda a criação, e que por meio de seu próprio poder todas as coisas foram feitas.

Cremos que Deus Pai é o autor da salvação eterna, tendo amado o mundo de tal maneira que deu Seu próprio Filho para a nossa redenção.

Cremos que Jesus, o Messias, pré-existente eternamente, em igualdade com Deus Pai; que, tendo nascido de uma virgem, tomou sobre si a natureza de homem, possuindo assim uma natureza tanto divina quanto humana. Cremos em Sua vida sem pecado e em Sua obediência perfeita à Lei; cremos em Sua morte justificadora. Seu sepultamento. Sua ressurreição corporal, Sua ascensão ao céu, Sua intercessão como Sumo Sacerdote e Seu retorno pessoal em poder e em glória.

Cremos que o Espírito Santo existe eternamente, em igualdade com o Pai e com o Filho; que Ele esteve ativo na criação de todas as coisas, e que continua ativa na Divina Providência; que Ele convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo; que Ele regenera, santifica, batiza, habita, sela, ilumina, guia e dá Seus dons a todos os crentes.

Cremos que Deus criou o homem à Sua imagem; porém, por causa da desobediência no Jardim do Éden, os primeiros pais perderam sua inocência, e tanto eles quanto seus descendentes separam-se de Deus e sofrem da morte física e espiritual. Cremos que todos os seres humanos, com a exceção de Jesus, o Messias, são pecadores por natureza e na prática de vida.

Cremos que Jesus, o Messias morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, como um sacrifício representativo e de substituição; que todos os que crêem n’Ele são justificados, não pelas obras da justiça que tenham feito, senão pela perfeita justiça e pelo sangue redentor de Jesus; e que não há outro nome sob o céu pelo qual possamos ser salvos.

Cremos que Israel é o povo da Aliança através da qual Deus continua operando Seus propósitos; e que a Igreja é um povo eleito de acordo com a Nova Aliança, sendo composto tanto de judeus quanto por gentios que reconhecem em Jesus o Messias e Redentor.

Cremos que Jesus, o Messias, voltará em pessoa para cumprir as profecias anunciadas acerca de Seu Reino.

Cremos na ressurreição corporal dos justos e dos injustos, na felicidade eterna para os salvos e no castigo perpétuo e consciente para os que se perdem”.

Esta Profissão de Fé é plenamente aceitável no que ela diz. Todavia mostra-se incompleta, por silenciar três pontos importantes:

1) Além da “literatura judaica tradicional”, merece menção a literatura cristã tradicional, que exprime a fé da Igreja e serve de referencial para se explanar a escrita. A tradição extra-bíblica pode exprimir verdades de fé.

2) Falta a referência à Igreja, que é inseparável de Cristo e vem a ser o Sacramento que continua a santíssima humanidade de Cristo.

3) Não são mencionados os sacramentos, tendo a Eucaristia em seu centro.

Estas omissões tornam o Credo dos Judeus por Jesus mais próximos do protestantismo do que do Catolicismo. Contudo, se os Judeus por Jesus continuarem a estudar, chegarão à Igreja Católica. O estudo da história tem sido a via pela qual passam muitos protestantes que resolvem aderir à Igreja Católica. Será este também o itinerário dos Judeus por Cristo?

Ao descrever seu histórico, notam os Judeus por Cristo que foi o Espírito Santo quem deu origem ao respectivo movimento… É, pois, para desejar que o mesmo Espírito leve a termo a obra iniciada de maneira tão alvissareira.

Via internet recebemos ainda o seguinte texto:

Declaração de nossa Missão:

“Nós existimos para fazer o Messias Jesus um assunto inevitável para o nosso povo judeu em todo o mundo”.

Informação Básica

Valores Essenciais dos Judeus por Jesus

1. Direcionar o evangelismo judeu como nossa prioridade.

2. Um estilo de vida apostólica de disponibilidade, vulnerabilidade e mobilidade.

3. Esforçamo-nos por excelência em tudo que fazemos.

4. Dispor na linha de frente apenas missionários que sejam judeus ou casados com judeus.

5. Operações e práticas baseadas em princípios.

6. Prestação de contas a nossos irmãos da missão e ao corpo do Messias.

7. Integridade e Fidelidade.

8. Criatividade em nossa equipe.

9. Caminhar em fé corajosa e arriscar-se por Deus.

Revista: Pergunte e Responderemos
D. Estevão Bettencourt, osb
Nº 498 – Ano 2003 – p. 543

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.