Jesus Cristo nas Escrituras

“Para que se cumpram as Escrituras até o fim” (Jo 19,28; 15, 25)

As Sagradas Escrituras anunciavam o Messias com muitos detalhes; e Jesus chamou a atenção para isto. Jo 5, 39: “As Escrituras dão testemunho de mim”. E foram os próprios judeus os guardas dos livros proféticos (séc XV a V a.C), mas infelizmente não souberam reconhecer o Messias quando ele chegou (…).

Com os discípulos de Emaús, o Senhor fez questão de enfatizar que as Escrituras falavam dele:

“E, começando por Moisés, percorrendo todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava dito em todas as escrituras” (Lc 24,27).

“Antes de tudo, sabei que nenhuma palavra da Escritura é de interpretação pessoal. Porque jamais uma palavra foi proferida por efeito de uma vontade humana. Homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus” (2 Pd 1,20-21).

Vamos mostrar resumidamente algumas passagens importantes que apontam para o Messias, indicando as suas características:

Gn 17,6s;22, 18; 26,4: “Ele virá de Abraão: “Tornar-te-ei extremamente fecundo, farei nascer de ti nações e terás reis por descendentes”.

Gn 26,4: virá de Isaac: “Multiplicarei tua posteridade como as estrelas do céu (…)”.

Gn 28,14: virá de Jacó: “Tua posteridade será tão numerosa como os grãos de poeira no solo…”

Gn 49,8s: Virá da tribo de Judá: “Judá, teus irmãos te louvarão (…). Os filhos de teu pai te prostrarão em tua presença. Não se apartará o cetro de Judá (…)” (Benção de Jacó).

Dt 18,15: “O Senhor, teu Deus, suscitará dentre os teus irmãos um profeta como eu: é a ele que deveis servir”.

Leia também: A Divindade de Jesus

Jesus Cristo existiu mesmo ou será um mito?

Deus enviou Jesus, e Jesus enviou a Igreja

Jesus, o Mestre sem Universidade

O Jesus Cristo Histórico

II Sam 7,16: “Tua casa e teu reino estão estabelecidos para sempre diante de mim, e o teu trono está firme para sempre”.

Lc 1,69: “Suscitou-nos um poderoso Salvador na casa de Davi, seu servo (como havia anunciado, desde os primeiros tempos, mediante os seus santos profetas)”.

Ag 2,7: “O Messias penetrará no Templo novo: O explendor desta casa sobrepujará o da primeira”.

Is 7,14: “Eis que a Virgem conceberá e dará a luz (…). Deus conosco. (Mt 1,23) Mq 5,1s: “Nascerá em Belém: Mas tu, Belém, tão pequena entre os clãs de Judá, é de ti que sairá para mim aquele que é chamado a governar Israel” (Mt 2,6).

Os 11,1: “Voltaria do Egito: E do Egito chamei meu Filho” (Mt 2,15).

Jer 31,15: “Ouve-se em Ramá uma voz, lamentos e amargos soluços. É Raquel que chora os filhos…” (Mt 2,8).

Is 40,3: Ml 3,1 “A voz do deserto: Abri no deserto um caminho para ao Senhor (…)” (Mt 3,3).

Sl 2,1: “Por que tumultuam as nações? (…). E os príncipes se unem para conspirar contra o Senhor e contra o seu Cristo” (At 4,26).

Is 42: A descrição do Servo – “Eis meu Servo que eu amparo, meu eleito ao qual dou toda a minha afeição, faço repousar sobre ele o meu espírito (…) Para abrir os olhos aos cegos, para tirar dos cárceres os prisioneiros e da prisão aqueles que vivem nas trevas”.

Mt 12,18/ Is 9,1: “A terra de Zabulon e de Neftali (…) a Galileia dos gentios, este povo que jazia nas trevas viu uma grande luz (…)” (Mt 4,15).

Is 61,1s: “O Espírito do Senhor está sobre mim (…)” (Lc 4,14).

Jer7,11: Zelo pela casa do Senhor – “Está escrito: A minha casa é casa de oração; vós a transformastes em covil de ladrões” (Mt 21,12).

Sl 77,2: Usaria de parábolas – “Abrirei a boca para ensinar em parábolas, revelarei coisas ocultas desde a criação” (Mt13,14).

Zac 9,9: “Montado no jumentinho. Não temas, filha de Sião, eis que vem o teu Rei montado num filho de jumenta” (Jo 12,15).

Sl 40,10: Seria traído por alguém íntimo – “Aquele que come o pão comigo, levantou contra mim o seu calcanhar” (Jo 13,18).

Zac 11,12: “Seria vendido por 30 moedas: Eles pagaram-me apenas trinta moedas de prata (…)” (Mt 27,9).

Is 53,3s: Sofreria terrivelmente – “Homem das dores…, experimentado no sofrimento…, tomou sobre si nossas enfermidades…, carregou nossos sofrimentos…, castigado por nossos crimes, e esmagado por nossas iniquidades, o castigo que nos salva pesou sobre ele, fomos curados graças às suas chagas…., foi maltratado e não abriu a boca…, como um cordeiro que se conduz ao matadouro…, por um iníquo julgamento foi arrebatado…, quem pensou em defender a sua causa…, morto pelo pecado do seu povo…, foi lhe dada sepultura ao lado de fascínoras…, ao morrer achava-se entre malfeitores…, se bem que não haja cometido injustiça alguma (…)” (Mc 15,28).

Is 50,6: Sofreria pacientemente – “Aos que me feriam apresentei as espáduas, e as faces àqueles que me arrancavam a barba; não desviei o rosto dos ultrajes e dos escarros”.

Sl 21, 19: Detalhes do seu sofrimento – “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes? (…)” (Mt 27,35).

“Todos os que me veem zombam de mim (…). Dizem, meneando a cabeça: “Esperou no Senhor, pois que Ele o livre, que o salve se o ama (…)”. Minha garganta está seca qual barro cozido, pega-se no paladar a minha língua (…). Cerca-me um bando de malfeitores (…). Transpassaram minhas mãos e meus pés (…). Poderia contar todos os meus ossos. Repartem entre si as minhas vestes, e lançam sorte sobre a minha túnica”.

Ex 12,46: “Nenhum osso será quebrado” (Jo 19,36).

Sl 68,22: “Puseram fel no meu alimento, na minha sede deram-me vinagre a beber”.

Zac 12,10: “Olharão para aquele que transpassaram” (Jo 19,36).

Zac 13,7: “Fere o pastor e as ovelhas serão dispersas” (Mt 26,21).

Sl 117,22: “A pedra rejeitada pelos construtores, tornou-se a pedra angular; isto é obra do Senhor” (Mt 21,42).

Sl 109,1: Ascensão – “O Senhor disse a meu Senhor: Senta-te à minha direita até que eu ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés” (At 2,35).

Sl 15,8-11: Ressurreição – “A minha carne repousará na esperança. Não deixarás a minha alma na região dos mortos, nem permitirás que o teu santo conheça a corrupção” (At 2,27).

Tudo se cumpriu com rigorosa exatidão histórica. Tudo o que foi predito pelos profetas e pelas Escrituras se cumpriu rigorosamente com Jesus.

“É preciso que se cumpram as Escrituras até o fim” (Jo 19,28).

1. Tudo o que foi predito e realizado na vida de Jesus jamais poderia ser fruto da imaginação humana.

2. As predições dos profetas foram contra a sua vontade e contra o sentir dos judeus, que jamais esperavam um Messias “homem das dores”.

3. Não há sentimentalismo nas Escrituras e nas previsões exatas dos profetas.

4. Quem de nós será capaz de fazer previsões? Em que dia vai chover; quando e onde haverá terremotos, mortes, catástrofes, etc. Mesmo com a mais avançada técnica moderna, dotada de computadores, radares e satélites, sismógrafos e coisas semelhantes, somos surpreendidos pelas surpresas da natureza. O que dizer dos profetas que fizeram previsões sobre a vida de Jesus, com até 700 anos de antecedência? Quem de nós será capaz de dizer o que vai acontecer amanhã na vida de alguém?

Jo 5, 39: “As Escrituras dão testemunho de mim. Cumpriu-se aquilo que Felipe disse a Natanael: Jo 1,45s: “Encontramos Aquele de quem Moisés escreveu na Lei e que os profetas anunciaram: é Jesus de Nazaré, filho de José”.

Jesus afirmou ser Deus:

Jo 8,58: “Em verdade vos digo, antes que Abraão existisse Eu Sou”.

Jo 8,56: “Abraão, vosso Pai, exultou com o pensamento de ver o meu dia”.

Jo 10,36-38: “(…) Como acusais de blasfemo aquele que o Pai santificou e enviou ao mundo, porque eu disse: Eu sou o Filho de Deus? Se eu não faço as obras de meu Pai, não me creais. Mas se as faço, e se não quiserdes crer em mim, crede nas minhas obras, para que saibais e reconheçais que o Pai está em mim e eu no Pai”.

Jo 10,33: “Os judeus responderam: Não é por causa de alguma boa obra que queremos apedrejar-te, mas por uma blafêmia, porque, sendo homem, te fazes Deus”.

Jo 5,18: “Por esta razão os judeus, com maior ardor, procuram tirar-lhe a vida, porque não somente violava o repouso do sábado, mas afirmava ainda que Deus era seu Pai e se fazia igual a Deus”.

Jo 19,7: “Responderam-lhe [a Pilatos] os judeus: nós temos uma lei, e segundo essa lei ele deve morrer, porque se declarou filho de Deus”.

Mc 14,61: “O sumo sacerdote tornou a perguntar-lhe: És tu o Cristo, o Filho do Deus bendito? Jesus respondeu: eu o sou!”.

Jo 8,12: “Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida”.

Jo 9,5: “Eu sou a luz do mundo”.

Jo 9,36: “Crês no Filho do Homem? Quem é ele, Senhor, para que eu creia nele? Disse-lhe Jesus: “Tu o vês, é o mesmo que fala contigo. Creio Senhor, disse ele, e prostrando-se adorou-o”.

Mt 21,9: “Hosana ao Filho de Davi. Bendito o que vem em nome do Senhor! (…)”.

Jo 4,25ss: “Respondeu a mulher: sei que deve vir o Messias (que se chama Cristo) (…). Disse-lhe Jesus: Sou eu, quem fala contigo”.

Mt 16, 13-20: “Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo! Feliz és tu Simão (…)”.

Mt 5, 21-48: “Eu, porém, vos digo (… ) Mt 9,2-7: “Os teus pecados estão perdoados (…)”.

Mc 2, 27s: “O sábado é o dia do Senhor. E Jesus é o Senhor do dia do Senhor”.

Mt 16,25: “Quem perde a vida por minha causa, ganhá-la-á”.

Mt 5, 12: “Felizes os que sofrem perseguição por minha causa”.

Assista também: Jesus é sinal de contradição!

Jesus fez exigências enormes que só Deus poderia ter feito:

Lc 9, 23: “Se alguém quer vir após mim, renegue-se a si mesmo, tome cada dia sua cruz, e siga-me (…)”.

Lc 14,25: “Se alguém vem a mim e não odeia seu pai, sua mãe, sua mulher, seus filhos, seus irmãos, suas irmãs, sim, até a sua própria vida, não pode ser meu discípulo”.

Conclusão: Ou Jesus era Deus, como disse que é; ou então, foi um grande mentiroso e farsante. Mas, os inimigos da Igreja (os racionalistas) afirmaram que Jesus foi a mais bela criatura que já passou pela terra; portanto, não foi um farsante ou mentiroso; então, é Deus, como afirmou ser. Adoremos o Senhor!

Prof. Felipe Aquino

Banner-fixo-jesus-cristo

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.