J. Thierry, em breve o primeiro beato milanês vindo da África

imageO site Zenit.org informou nesta terça-feira(10/09/14) que “A figura de Jean Thierry é motivo de consolo e alegria que nos motiva a tomar posse de nós mesmos, a nos questionar sobre a pergunta que ardia nele: Porque vivemos?

Estamos diante de um homem que soube viver da devoção ao Senhor, aos irmãos. Depois de termos levado o evangelho a muitas partes do mundo, acolhemos com alegria a chegada de evangelizadores e testemunhas que vêm destas terras, como Jean Thierry, para ressuscitar a nossa fé, para aprender de novo a amar quem está perto, para ajudar os necessitados.”

Palavras pronunciadas pelo Arcebispo de Milão, Cardeal Angelo Scola nesta terça-feira, 9 de setembro, na paróquia de Santa Teresinha do Menino Jesus em Legnano, no final da cerimônia de encerramento do processo diocesano Super Virtutibus de Jean Thierry Ebogo, que morreu em Legnano, Itália, há oito anos.

O processo Super virtutibus é uma etapa fundamental no processo que leva à beatificação e, em seguida, à declaração oficial de santidade. Muitos amigos que se lembram dele, estavam presentes na cerimônia. Eles se comprometeram com uma iniciativa singular: criaram – o primeiro caso de uma pessoa que caminha para o altar – uma página no Facebook dedicada a Jean.

Nascido em 04 de fevereiro de 1982 em Bamenda (Camarões), o jovem Jean Thierry expressou seu desejo de tornar-se sacerdote aos 13 anos e entrou para o seminário menor de Guider. Em 2003, ele entrou como postulante no Carmelo Teresiano em Nkoabang e no ano seguinte foi admitido ao noviciado. Algumas semanas depois, ele descobriu que sofria de um tumor ósseo: sofreu a amputação de sua perna direita, oferecendo o seu sofrimento pelo nascimento de novas vocações.

Em 2005, o padre Gabriele Mattavelli, Provincial dos Carmelitas Descalços em Camarões, levou Jean Thierry para a Itália, para começar em Concesa (MI) seu noviciado e ser acompanhado adequadamente do ponto de vista da saúde. Mas o tratamento a que foi submetido não deu os resultados esperados.

Com o consentimento do Padre Geral da Ordem, em 8 de dezembro de 2005, Jean Thierry fez a profissão solene no Carmelo Teresiano. Menos de um mês depois, em 5 de janeiro de 2006, Frei Jean Thierry do Menino Jesus e da Paixão morreu no hospital de Legnano (MI). Seu funeral celebrado primeiro na Paróquia de Santa Teresa de Legnano e depois nos Camarões, em Yaoundé, onde seu corpo foi transportado, contou com a participação de uma grande multidão de amigos. Seu túmulo no cemitério dos alunos carmelitas de Nkolbisson – Yaoundé (Camarões), é destino de peregrinações e está sempre coberto de flores e velas.

Em 16 de julho de 2013, a Arquidiocese de Milão, a convite da Província Lombarda dos Carmelitas Descalços, abriu o processo canônico para a beatificação. Após o encerramento oficial que aconteceu na terça-feira, a documentação será encaminhada para Roma na pendência da análise da Congregação dos Santos.

Fonte:http://www.zenit.org/pt/articles/j-thierry-em-breve-o-primeiro-beato-milanes-vindo-da-africa

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.